Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Livro da 1ª Bienal da Caricatura


É hoje às 19h, no jardim do Museu do Estado do Pará, a noite de autógrafos e vernissage do livro da 1ª Bienal Internacional da Caricatura – Brasil, com a presença dos cartunistas parauaras Biratan Porto e J. Bosco. A obra traz referências ao trabalho de 180 caricaturistas nacionais e estrangeiros, retratando uma parte importante do caminho atual do desenho de humor e o elo com o seu passado histórico, reconhecido pela Associação dos Cartunistas do Brasil como o Melhor Festival de Humor Gráfico de 2013. 

O pioneiro “Catálogo da 1ª Bienal Internacional da Caricatura – Brasil” registra a história das 40 mostras sobre a arte da caricatura, nacional e estrangeira. Contém 304 páginas, 50 capítulos e 800 imagens, textos sobre as exposições e biografias de artistas como os norte-americanos Mort Walker (criador do Recruta Zero) e Thomas Nast, e o francês Gustave Doré, entre outros.
Do Brasil, a publicação apresenta biografias de Manoel de Araújo Porto Alegre, K. Lixto, J. Carlos, Raul Pederneiras, Sebastien Auguste Sisson, Carlos Estêvão, Appe, Ziraldo, Claudius Ceccon, Jaguar, Lan, Adail, Cavalcante, Cau Gomez, Guidacci, Genin Guerra, Lula Palomanes, Hermé e Zé Andrade, além dos novos Glen Batoca, Fabrício Garcia (Manohead), e do organizador da Bienal, Luciano Magno (que, além de historiador, apresenta sua faceta como caricaturista), traçando um alentado roteiro da arte caricatural brasileira do século XIX ao século XXI.

O lançamento é uma realização do governo do Pará, via Secult.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *