A sesquicentenária samaumeira que perdeu seus galhos na madrugada desta segunda-feira (6) é memória afetiva de todos os paraenses e até de gente de fora do Pará e do Brasil que frequenta Belém durante o Círio de Nazaré. Localizada em…

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará oficializou o resultado da eleição suplementar em Viseu 39 minutos após o encerramento da votação. Foi eleito prefeito Cristiano Vale (nº 11 – PP – Voltando pra Cuidar da Gente) e vice-prefeito Mauro da…

Nem bem foi inaugurado, e ainda faltando a instalação dos bancos e finalização, o calçadão da Avenida Beira-Mar, em Salinópolis, sofreu diversas avarias. A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras acionou a empresa responsável pela obra, que está executando ações…

A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Livro da 1ª Bienal da Caricatura


É hoje às 19h, no jardim do Museu do Estado do Pará, a noite de autógrafos e vernissage do livro da 1ª Bienal Internacional da Caricatura – Brasil, com a presença dos cartunistas parauaras Biratan Porto e J. Bosco. A obra traz referências ao trabalho de 180 caricaturistas nacionais e estrangeiros, retratando uma parte importante do caminho atual do desenho de humor e o elo com o seu passado histórico, reconhecido pela Associação dos Cartunistas do Brasil como o Melhor Festival de Humor Gráfico de 2013. 

O pioneiro “Catálogo da 1ª Bienal Internacional da Caricatura – Brasil” registra a história das 40 mostras sobre a arte da caricatura, nacional e estrangeira. Contém 304 páginas, 50 capítulos e 800 imagens, textos sobre as exposições e biografias de artistas como os norte-americanos Mort Walker (criador do Recruta Zero) e Thomas Nast, e o francês Gustave Doré, entre outros.
Do Brasil, a publicação apresenta biografias de Manoel de Araújo Porto Alegre, K. Lixto, J. Carlos, Raul Pederneiras, Sebastien Auguste Sisson, Carlos Estêvão, Appe, Ziraldo, Claudius Ceccon, Jaguar, Lan, Adail, Cavalcante, Cau Gomez, Guidacci, Genin Guerra, Lula Palomanes, Hermé e Zé Andrade, além dos novos Glen Batoca, Fabrício Garcia (Manohead), e do organizador da Bienal, Luciano Magno (que, além de historiador, apresenta sua faceta como caricaturista), traçando um alentado roteiro da arte caricatural brasileira do século XIX ao século XXI.

O lançamento é uma realização do governo do Pará, via Secult.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *