Na terça-feira da semana passada (19), quando estava em votação no plenário da Assembleia Legislativa projeto de Indicação de autoria da deputada Professora Nilse Pinheiro transformando o Conselho Estadual de Educação em autarquia, detentora de autonomia deliberativa, financeira e administrativa,…

A desgraça sempre chega a galope, mas tudo o que é bom se arrasta indefinidamente no Brasil, o país dos contrastes e contradições, rico por natureza, com poucos bilionários e povo abaixo da linha da pobreza. Parece inacreditável, mas tramita…

O prefeito de Oriximiná, Delegado Willian Fonseca, foi reconduzido ao cargo pelo juiz titular da Vara Única daComarca local, Wallace Carneiro de Sousa, e literalmente voltou a tomar posse nos braços do povo. Era por volta do meio-dia, hoje (26),…

A equipe multidisciplinar do centro obstétrico da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, em Belém (PA), vivenciou uma experiência rara e emocionante: o parto empelicado. Imaginem um bebê nascendo dentro da placenta intacta, com os movimentos visíveis, praticamente ainda…

Lei de criação de municípios vai à sanção

O Senado aprovou no final da tarde de hoje o projeto de lei complementar (SCD 98/2002) que define as regras para a criação, incorporação, fusão e desmembramento de municípios, já aprovado pela Câmara dos Deputados. Agora, só falta a sanção presidencial para que as Assembleias Legislativas dos Estados recuperem a prerrogativa suspensa há 17 anos.
 
Na Alepa, há cerca de 50 projetos de lei que tratam da emancipação, desmembramento e criação de municípios no Estado. O senador Fernando Flexa Ribeiro (PSDB-PA) trabalhou em conjunto com o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), autor do projeto, para que a proposta fosse votada no plenário do Senado. Na Comissão de Constituição e Justiça, Flexa foi o autor do requerimento de urgência para a matéria.
 
O parlamentar explica que as regras são rígidas, variam para cada região do Brasil e não prevê novos gastos públicos. “O projeto não cria despesas, porque o Fundo de Participação dos Municípios definido para o Estado vai ser o mesmo. O que vai haver é uma divisão do FPM do Estado para mais municípios. Ou seja, vai exigir uma gestão pública local mais eficiente, descentralizada e com a possibilidade dos hoje distritos terem orçamento próprio e trabalharem na instalação de postos de saúde, escolas e lutar por mais conquistas.
Um exemplo no Pará é Castelo dos Sonhos, que está distante mais de mil quilômetros da sede, que é Altamira. Assim como temos outros exemplos, como Morais de Almeida, em Itaituba, Vitória da Conquista, em Novo Repartimento e tantos outros. Temos agora regras para a criação de Municípios, mas não de forma aleatória e, sim, de forma consistente, com base populacional e econômica para que possam ser sustentáveis”, disse o senador paraense.
 

A lei define que os projetos de novos municípios devem apresentar Estudos de Viabilidade Municipal e consulta popular.
Também determina o mínimo de população e outras condições para a criação de municípios, assim como as características do EVM e a capacidade de cumprir as exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal. Quanto ao limite populacional mínimo, houve pequena alteração. Enquanto o Senado propôs 5 mil habitantes para as regiões Norte e Centro-Oeste, 7 mil para o Nordeste, 10 mil para Sul e Sudeste, a Câmara propôs um cálculo com base na população municipal média do País. Os números ficaram próximos aos definidos pelos senadores e o limite será automaticame
nte reajustado à medida em que a população cresça.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *