O IV Distrito Naval da Marinha do Brasil, em parceria com o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), Praticagem da Barra do Pará, Sociedade Amigos da Marinha Pará, Secretarias de Saúde de Barcarena e do Estado do Pará, Tribunal…

Guy Veloso, filho do saudoso jurista, notário e político Zeno Veloso, plantou em sua memória um pé de baobá na Universidade Federal do Pará, onde o ilustre parauara se destacou como professor de direito civil e direito constitucional, formando gerações…

Evellyn Vitória Souza Freitas nasceu no chão do banheiro do Hospital Municipal de Portel, município do arquipélago do Marajó (PA), no dia 28 de julho de 2021, por volta das 8h da manhã, prematura de 28 semanas e dois dias, pesando 1Kg e 39…

Vanete Oliveira, a jovem marajoara de 28 anos e mãe de cinco filhos que sofre há catorze anos com um tumor enorme em um dos olhos, que lhe cobre quase a metade da face, já está internada no Hospital Ophir…

LDO aprovada em Comissão vai ao plenário

A Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária da Assembleia Legislativa aprovou ontem o parecer do relator da LDO 2018 – Lei de Diretrizes Orçamentárias (projeto de Lei nº 68/2017), deputado Júnior Hage, que também preside a CFFO. Das 132 emendas, 22 foram acatadas. A mais polêmica propunha reordenamento orçamentário a fim de repassar percentual maior à Defensoria Pública do Estado do Pará, que acabou não sendo contemplada. O parecer e as emendas rejeitadas serão apreciados em plenário na semana que vem.

Em nota, o presidente da Associação dos Defensores Públicos, Fabio Pires Namekata, reclamou que a Defensoria Pública, com 256 membros, tem só 1,64% da Receita Líquida Resultante de Impostos, enquanto o Ministério Público detém 5,15% e o Tribunal de Justiça 9,76%, com 350 membros cada.  Já foram chamados 12 dos aprovados no último concurso, restam 42, sendo que 6 têm direito líquido e certo à nomeação, porque estão dentro das vagas, mas o orçamento da Defensoria não comporta o chamamento

O líder do Governo, deputado Eliel Faustino, defendeu o fortalecimento da Defensoria Pública, mas explicou que não se pode alterar os orçamentos de instituições sem levantamentos técnicos, até porque tanto o TJE-PA quanto o MPE-PA e os Tribunais de Contas e Ministério Público de Contas correriam o risco de inviabilizar suas atividades. 

Por outro lado, o governador Simão Jatene já vem suplementando o orçamento da Defensoria desde o ano passado e deverá fazer novos aportes, remanejando recursos do próprio Executivo, de modo a permitir que o órgão resolva as suas dificuldades. 

Participaram da reunião da CFFO os deputados Carlos Bordalo, Celso Sabino, Ozório Juvenil, Luth Rebelo, Milton Campos, Sidney Rosa, Iran Lima, Renato Ogawa, Eliane Lima e Coronel Neil, além de Eliel Faustino e Júnior Hage.

Leiam aí em cima a íntegra do parecer da Comissão.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *