A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Os fatos que ensejaram a prisão preventiva do SGT Gildson dos Santos Soares e o afastamento da Coronel QOPM/PA Andréa Keyla Leal Rocha do Comando de Policiamento Ambiental da Polícia Militar do Pará descortinaram uma situação gravíssima e surreal dentro…

Barcos regionais a motor, veleiros, vigilengas, rabetas, bajaras, canoas ubás, igarités, catraias, botes fazem parte da memória afetiva, produtiva e econômica parauara, navegando pelo oceano Atlântico, baías, rios que mais parecem mares, lagos, igarapés, furos, estreitos, igapós e campos alagados…

Julgamento do atirador da BR-316

Vocês lembram que, em dezembro de 2012, um homem atirou em policiais rodoviários federais que faziam uma fiscalização no Km 25 da BR-316, no município de Benevides, região metropolitana de Belém? Pois ele será julgado amanhã, a partir das 10h, pelo Tribunal do Júri Federal, presidido pelo juiz federal titular da 4ª Vara Criminal e do 2º Juizado Especial Federal Adjunto Criminal, Antonio Carlos Almeida Campelo.

Na denúncia, o Ministério Público Federal narrou que Everton dos Santos Xavier, acompanhado de William Oliveira do Carmo, trafegava numa motocicleta pela BR-316 por volta das 16h do dia 28 de dezembro de 2012, quando foi parado por dois policiais rodoviários.
Diante do pedido para que levantasse a camisa, Everton, que portava uma pistola, começou a atirar nos dois policiais rodoviários, que revidaram. Xavier, felizmente, tinha má pontaria, e foi atingido duas vezes numa das pernas. Sua pistola, modelo Taurus 24/7, calibre .40, três balas, R$ 47 que portava e a motocicleta na qual trafegava foram apreendidos e ele acusado de tentativa de homicídio. 

A defesa alegou que a pistola não estava apta para funcionamento, o que teria sido comprovado por laudo pericial.
Tanto Everton dos Santos Xavier como William Oliveira do Carmo foram pronunciados pela 4ª Vara da Justiça Federal, mas o processo foi desmembrado e por isso o julgamento de William será em outra data.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *