Ontem duas famílias viveram momentos de terror, vítimas de assalto à mão armada por volta das 13 horas, durante passeio no Parque do Utinga, um dos lugares mais lindos de Belém e importante equipamento turístico parauara. Trata-se do oitavo roubo…

Em iniciativa inédita, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro celebra os percursos individuais e coletivos que construíram as políticas de salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, lançando a obra “Em Defesa do Patrimônio Cultural”, organizado por…

Neste sábado, 16, postos de saúde ficarão abertos para a vacinação com foco em menores de 15 anos. Em Belém, 11 unidades vão funcionar das 8h às 14h. A campanha da Multivacinação iniciou no dia 04 de outubro e segue…

De autoria do carnavalesco e professor Paulo Anete, o enredo para o Carnaval 2022 da Escola de Samba Grêmio Recreativo Carnavalesco e Cultural Os Colibris, de Belém do Pará, é “Zélia Amada/ Zélia de Deus/ Zélia das Artes/ Herdeira de…

Juiz do Pará condecorado na Espanha

O juiz Elder Lisboa acaba de ser agraciado pela Universidade de Salamanca, na Espanha, com o Prêmio Extraordinário de Doutorado, pela melhor tese em 2013/2014, intitulada “Esclavitud en las haciendas del sudeste del Pará:Brasil. Verificación del discurso de la Organización Internacional del Trabajo. Perspecitiva de los Derechos Humanos“. A cerimônia de entrega da honraria está prevista para fevereiro ou março de 2015. Trata-se da condecoração mais importante da Universidade de Salamanca para os doutores e ele a dedicou ao Pará e ao Brasil. 

A tese do magistrado cita a primeira sentença contra o trabalho escravo no Brasil, da lavra do desembargador Vicente Malheiros da Fonseca, que acaba de completar trinta e oito anos de publicação. Nela, então juiz do Trabalho da Junta de Conciliação e Julgamento de Abaetetuba, o santareno Vicente Fonseca condenou o dono de um engenho de cana-de-açúcar, destinado à fabricação de cachaça, em Abaetetuba, em uma reclamação verbal formulada por um trabalhador rural. Escreveu mais de 100 páginas e nem imaginava que um dia se tornaria um processo histórico. Naquela época não havia indenização por dano coletivo ou moral, nem ação do Ministério Público. 

Recentemente, ao ser recebido em palácio como convidado especial pela rainha da Espanha, o juiz Elder Lisboa registrou, em sua página do Facebook, que “nem em sonho de menino preto e pobre” ele poderia imaginar que um dia alcançaria tal condição. O magistrado retorna a Belém do Pará já como PhD em Direito pela Universidade de Paris. 

Que seja bem vindo e use seus conhecimentos em prol da Justiça e da paz social!

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *