Ontem duas famílias viveram momentos de terror, vítimas de assalto à mão armada por volta das 13 horas, durante passeio no Parque do Utinga, um dos lugares mais lindos de Belém e importante equipamento turístico parauara. Trata-se do oitavo roubo…

Em iniciativa inédita, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro celebra os percursos individuais e coletivos que construíram as políticas de salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, lançando a obra “Em Defesa do Patrimônio Cultural”, organizado por…

Neste sábado, 16, postos de saúde ficarão abertos para a vacinação com foco em menores de 15 anos. Em Belém, 11 unidades vão funcionar das 8h às 14h. A campanha da Multivacinação iniciou no dia 04 de outubro e segue…

De autoria do carnavalesco e professor Paulo Anete, o enredo para o Carnaval 2022 da Escola de Samba Grêmio Recreativo Carnavalesco e Cultural Os Colibris, de Belém do Pará, é “Zélia Amada/ Zélia de Deus/ Zélia das Artes/ Herdeira de…

Governo detalha obras do Ação Metrópole na RMB

Foto: Thiago Gomes
Em entrevista coletiva no palácio do governo, o governador Simão Jatene, o senador Flexa Ribeiro, os prefeitos Zenaldo Coutinho, de Belém; Manoel Pioneiro, de Ananindeua; e Mário Filho, de Marituba, e os técnicos Marilena Mácola Marques e César Meira, diretores do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano, ao lado do chefe do Gabinete Civil, José Megale, e do líder do Governo, deputado Eliel Faustino, detalharam o que será a maior intervenção na infraestrutura de transporte e mobilidade urbana da história do Pará. As obras serão licitadas já a partir de dezembro, e até junho de 2017 deve estar concluído o processo licitatório internacional, quando então será celebrado o contrato e começarão os trabalhos. 

O projeto original tinha custo de R$1 bilhão, porque incluía o BRT Belém – que já está em execução, na Av. Almirante Barroso e Augusto Montenegro. Agora, vai custar R$530 milhões – com recursos da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica)  e contrapartida do Estado no percentual de 18% desse valor -, começará do Entroncamento e irá até Marituba, quase na entrada de Benfica, passando da entrada da Alça Viária. O total do investimento no sistema ultrapassa R$1 bilhão, somando a obras de prolongamento da Av. João Paulo II, da Av. Independência, o BRT Belém e a Av. Perimetral.

O início das obras na BR-316, em pleno julho, mês de férias escolares, época em que a rodovia normalmente já fica congestionada, sinaliza dois verões de grandes transtornos no trânsito de entrada e saída da Região Metropolitana de Belém, adiantou o governador Simão Jatene, pontuando que depois de 2018 haverá um novo sistema de transporte público, totalmente diferente. Mesmo com o tráfego já circulando na Av. João Paulo II, ninguém pode se iludir, alertou Jatene, avisando que vamos viver mais dificuldades e não vai criar expectativa falsa. 

O prazo de execução, de 20 meses, é bem apertado. Como os recursos estão garantidos e disponíveis a velocidade da obra será definida pela engenharia, e não pelo cronograma financeiro. Uma das preocupações do edital é que crie condições objetivas a fim de que só empresas com tecnologia e suporte para realizar tal obra em curto espaço de tempo possam vencer o certame.

Por sua vez, os municípios terão papel decisivo na gestão integrada: deverão criar, articular e melhorar seus sistemas para valorizar o conjunto, redefinir linhas de ônibus e alimentar da forma mais racional possível o BRT intermunicipal, que transformará a paisagem em seu entorno.

Há anos o governador Simão Jatene vinha pedindo à União a estadualização desse trecho da BR-316 para que pudesse executar as obras e assim ajudar a desafogar o trânsito na área metropolitana. Jatene fez questão de destacar o gesto de Michel Temer, que em dois meses resolveu a questão, de modo conciliador. Contou que, assim que ele assumiu a Presidência da República, os dois conversaram e Temer disse desde o início que entendia a importância, preveniu que havia alguns problemas de natureza política a resolver, mas que certamente concederia a rodovia. Salientando que os interesses coletivos se impõem aos particulares e houve um bom exemplo, Jatene observou que Temer foi “absolutamente correto, corretíssimo”. Destacou, também, a parceria da bancada federal, principalmente o trabalho de articulação do senador Flexa Ribeiro, que classificou como “essencial, determinante, diligente e dedicado”. Flexa conversou com todos os poderes da República, acompanhou a tramitação do processo de concessão no Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) e no Ministério dos Transportes, aparou arestas. A vitória, claro, é do povo do Pará, o grande beneficiário desse investimento. 

O projeto – que é parte do programa Ação Metrópole, do governo do Estado, sob a responsabilidade do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano – inclui ampliação das pistas da BR-316, construção de terminais rodoviários e um BRT metropolitano, além da repaginação das entradas e saídas e melhoria no sistema de transporte dos municípios de Belém, Ananindeua e Marituba.  A BR-316 ganhará duas pistas, uma em cada sentido, com quatro faixas em cada uma delas (uma exclusiva para o BRT), nova iluminação com LED, drenagem e pavimentação, calçadas arborizadas, ciclovias nas duas extremidades, bidirecionais,  e 13 passarelas para travessia de pedestres, além de paisagismo. Não haverá instituição de pedágio.  

Desde 2013 o processo licitatório internacional para a elaboração do projeto executivo e execução do gerenciamento da obra do BRT Metropolitano foi providenciado. Em fevereiro de 2014 foi assinado o contrato com o vencedor do certame: Consórcio Troncal, constituído por quatro empresas, duas brasileiras e duas japonesas. O projeto executivo já foi concluído.  

O ponto inicial do BRT intermunicipal será em Marituba, no Km 10,7 da BR-316, próximo à Alça Viária, e permitirá a integração das linhas que vêm de Marituba. O terminal será composto por duas plataformas, uma para as linhas troncais e outra para as linhas alimentadoras, área de expansão e de estocagem, praça e estacionamento para motos, veículos e bicicletas, possibilitando a integração dos usuários. Nesse terminal também serão ofertados outros serviços à população, através de programas do governo do Estado como o “Navega Pará”, que garante acesso gratuito à internet sem fio (Wi-Fi), e a “Estação Cidadania”, onde os usuários terão acesso a órgãos públicos e demais serviços. Já em Ananindeua o terminal ficará no Km 6,5 da BR-316, em frente à sede campestre da AABB. Será o principal ponto de integração das linhas alimentadoras de Ananindeua ao BRT e contará com acessos através de passagens subterrâneas, três plataformas para as linhas troncais e alimentadoras, área de expansão e de estocagem, estacionamento para motos, veículos e bicicletas, Wi-Fi, praça e outra unidade da “Estação Cidadania”. Vai ser o maior do BRT Metropolitano, de  modo a possibilitar a conexão deste aos conjuntos Cidade Nova e seu entorno, através da rua Ananin, que está sendo executada pela prefeitura de Ananindeua, e de um viaduto que facilitará a ligação entre as áreas ao sul da BR, como o conjunto Júlia Seffer e Aurá, à Cidade Nova. 

O Projeto Ação Metrópole prevê, ainda, a gestão operacional associada dos serviços de transporte público por ônibus, executada por um consórcio formado pelo governo do Estado e prefeituras da RMB. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *