Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Fala o juiz do Trabalho Jônatas Andrade

A propósito do post “Signo e penhor da dignidade humana“, no qual relato processo sofrido por publicar a verdade, recebi, da lavra do juiz do Trabalho Jônatas Andrade, na minha página no Facebook e na caixinha de comentários do blog:

“Cara Franssinete, pela seriedade do seu trabalho e pelas muitas premiações que tens recebido em prol da causa do bem comum, receba nossa solidariedade. O que foi publicado é do interesse público, de reforço e aperfeiçoamento de nossas instituições, tendo as matérias se limitado a narrar fatos notórios, tratando-se do pleno direito à liberdade de expressão e do regular exercício do direito constitucional de informação.” *

*O juiz Jônatas Andrade é titular da 2ª Vara do Trabalho de Marabá, agraciado pela Presidência da República com o Prêmio Direitos Humanos, na categoria Erradicação do Trabalho Escravo, em 2012, e pelo Movimento Humanos Direitos com o Prêmio João Canuto, em 2013, magistrado ameaçado de morte por ter a coragem de lutar por um Brasil melhor. Sinto-me honrada e feliz por estar no lado certo do bom combate. Que o Poder Judiciário do Pará enxergue o que está por trás dos processos movidos por indivíduos como Sábato Rossetti, Gervásio Morgado e Luiz Afonso Sefer e dê um basta em tais tentativas de utilizar o TJE-PA para atingir objetivos pessoais de intimidação e cerceamento dos direitos amparados pela Constituição, Jurisprudência e a doutrina pátria!

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *