O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Decano do TRT8 completa 40 anos de Justiça do Trabalho

Aos 65 anos de idade, o magistrado, músico, escritor e articulista (que
me honra ser colaborador do jornal Uruá-Tapera)
Vicente José Malheiros da Fonseca completa hoje 40 anos de Justiça do Trabalho.
Parauara de Santarém, começou na magistratura como suplente de Juiz Presidente
da JCJ de Santarém, em 1973. Em 1975 foi aprovado em concurso público para Juiz
do Trabalho Substituto e, em 1983, em novo concurso, em ambos obtendo o 1º
lugar. É o segundo filho de Rosilda e Wilson Fonseca (maestro Isoca), casado
com Neide Teles Sirotheau da Fonseca, analista judiciário e diretora da
Secretaria de Manutenção e Projetos do TRT8, e pai de Vicente Filho, Adriano e
Lorena.
Decano da
Corte, foi Coordenador do Colégio de Presidentes e Corregedores dos TRTs do
Brasil e escreveu vários artigos e livros. O mais recente, “A Vida e a Obra de
Wilson Fonseca (Maestro Isoca)”, fala da história de seu pai. É pianista e
compôs mais de 1.000 músicas como o “Hino da Justiça do Trabalho
(1998), oficializado, em âmbito nacional, pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho . Exerceu o magistério na Unama e
idealizou a criação do Fundo de Garantia das Execuções Trabalhistas,
incorporado à Emenda Constitucional nº 45/2004.
Naquele 6 de
abril de 1973, também ocorreram as posses de Edgard Olyntho Contente, promovido
a Juiz Togado (atualmente, Desembargador) do TRT-8, e de 6 novos Juízes do
Trabalho Substitutos (Maria Adelaide Sento-Sé Gravatá, Lóris Rocha Pereira,
Raimundo das Chagas, Hermes Afonso Tupinambá Netto, Marilda Wanderley Coelho Vianna
e Eunice de Souza Botelho). A saudação aos empossados foi feita pela então Juíza
Presidente da 2a. JCJ de Belém, Semíramis Arnaud Ferreira. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *