O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Concursados ganham no TJE-PA

As Câmaras Cíveis Reunidas reconheceram à unanimidade, hoje, o direito de Claudio Henrique Pípolos de Oliveira, aprovado em concurso público realizado em setembro de 2008, ser nomeado para o cargo de técnico em administração de finanças da Fundação Curro Velho. Ele foi classificado em 4º lugar, mas com a desistência do 1º, passou a ocupar o 3º lugar no concurso, ou seja, ficou dentro das 3 vagas destinadas para o cargo em edital. Entretanto, o prazo do concurso expirou – sem prorrogação da validade – e os candidatos aprovados não foram convocados. A juíza relatora do Mandado de Segurança, Elena Farag, reconheceu a violação do direito e determinou a nomeação do candidato. 
Na mesma sessão, os desembargadores julgaram improcedente a Ação Rescisória movida pela Prefeitura de Bagre, que havia anulado as nomeações de servidores na gestão municipal anterior, alegando que tal concurso estava sob investigação por conta de supostas irregularidades.
O desembargador relator, Ricardo Nunes, explicou que, enquanto não houver a anulação do concurso, ele continua válido. A decisão não fere qualquer dispositivo legal, e concursados não podem ser exonerados sem o devido processo legal.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *