A empresa de ônibus Belém-Rio, que faz a linha para o distrito de Outeiro – Ilha de Caratateua, em Belém, aparentemente está falida e reduziu pela metade a sua frota, causando enorme sofrimento aos usuários do transporte coletivo. O serviço,…

A Cosanpa abriu nada menos que seiscentos buracos imensos nos bairros mais movimentados de Belém, infernizando a vida de todo mundo com engarrafamentos e causando graves riscos de acidentes, principalmente porque chove sempre, e quando as ruas alagam os buracos…

O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Charles Aznavour, um romance inventado

Sob a direção competente de Daniel Dias da Silva, na última sexta, no Rio de Janeiro, estreou com grande sucesso mais uma peça do premiado escritor, diretor e dramaturgo paraense Saulo Sisnando: “Charles Azanavour, um romance inventado!” e para minha alegria tive o privilégio de estar presente no primeiro dia!

Sisnando fez “acontecer” num momento importante da história do teatro (quase!) pós pandêmico. A plateia estava ansiosa e visivelmente curiosa; afinal, trata-se de um texto inédito que evoca preciosas memórias afetivas do imaginário coletivo: canções de Aznavour, a gloriosa atriz Silvia Bandeira como protagonista e, claro, todos os clichês românticos que amamos!

“Charles Aznavour”, um romance inventado!” tem texto aveludado e bem aproveitado pela direção, que soluciona de forma inteligente as passagens textuais e musicais do espetáculo, que aliás conta com execuções elegantes e bem arranjadas de músicas consagradas como “La Bohème”. Tem-se no palco uma peça que te abraça gostoso desde a primeira fala da atriz Silvia Bandeira (e seu timbre inconfundível!) até a última revelação, que dá sentido ao título, pois a trama é bem amarrada e com estofo até para os mais exigentes.

A feliz parceria entre Silvia e o cantor/ator convidado, o talentosíssimo Maurício Baduh, nos entregam divertidos jogos e trocas cênicas proporcionando uma das sensações mais incríveis que podemos experimentar quando entregues as emoções de uma obra de arte: o reconhecimento de nós mesmos ali no palco. Saulo Sisnando mais uma vez foi ovacionado em uma sala de espetáculo carioca, o que a nós paraenses traz orgulho e esperança em tempos tão áridos para o artista brasileiro.

A peça ficará em cartaz às sextas e sábados, sempre às 20h, no Teatro das Artes, na Gávea, com todos os protocolos sanitários exigidos. Sem dúvida um espetáculo para fazer parte do repertório cultural de todos nós. Evoé!!!!

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *