0

Ontem à noite policiais militares fecharam um bar em Ourilândia do Norte, município no sul do Pará, sob a alegação de que não tem alvará de funcionamento e era frequentado por adolescentes. Mas o dono do estabelecimento pegou um microfone e fez um escândalo, denunciando que se tratava de retaliação de um certo Tenente Victor, do Batalhão local da PMPA, que pedira propina para a polícia mas não fora atendido. Ele afirma que tem como provar o que diz. Um vídeo circula nas redes sociais mostrando a cena. O promotor de Justiça da Vara Militar, Armando Brasil, garantiu que vai determinar a instauração de IPM – Inquérito Policial Militar a fim de apurar o caso. Assistam ao vídeo.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Charles Aznavour, um romance inventado

Anterior

O silêncio garante a impunidade

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *