Área contígua ao centro histórico de Belém do Pará, Zona Especial do Patrimônio Histórico declarada por lei, o bairro do Reduto, cenário industrial da belle Époque, da Doca do Reduto no início do século XX, com suas canoas coloridas repletas…

A Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça fixou, sob o rito dos recursos repetitivos, a tese de que o servidor federal inativo, independentemente de prévio requerimento administrativo, tem direito à conversão em dinheiro da licença-prêmio não usufruída durante a…

O prefeito Edmilson Rodrigues cumpriu agenda institucional em Brasília, ao lado do secretário municipal de Gestão e Planejamento, Cláudio Puty. No Ministério da Economia, trataram das obras de saneamento básico no Canal do Mata Fome, no bairro do Tapanã, onde…

O leite materno contém propriedades importantes para o crescimento e desenvolvimento do bebê, fortalecendo a sua imunidade contra diversas doenças. Em 1992 a Aliança Mundial de Ação Pró-Amamentação criou a Semana Mundial de Aleitamento Materno, de 1 a 7 de…

Castanhal: MP apura queima de arquivo

Os promotores de Justiça Francys Lucy Galhardo, de Castanhal, e Harrison Bezerra,  que atua no Gaeco (Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado), começaram ontem mesmo a investigar a denúncia de queima de documentos públicos relacionados a operação “Querida Saúde”. Quem assistiu ao vídeo feito por populares ficou estupefato com as imagens de documentos sendo queimados em plena via pública, na periferia da cidade, por funcionários da Secretaria Municipal de Saúde. Uma verdadeira confissão de crime. De imediato, foi recolhido pelo MP o que deu para salvar e tudo está sendo periciado pelo IML. Também já está em curso apuração das circunstâncias em que documentos foram jogados nos fundos de um posto de saúde do bairro Jaderlândia. Testemunhas irão depor na segunda (22). 

Na terça-feira, a operação “Querida Saúde” efetuou busca e apreensão na prefeitura de Castanhal, Secretaria Municipal de Saúde e na empresa RCA Serviços e Construções Ltda.
Há suspeita de fraudes em licitações e irregularidades na contratação de serviços e de servidores, inclusive com pagamento de plantões em desacordo com a lei. Foram apreendidas folhas de pagamento, processos licitatórios de 2013 e listas de frequência dos servidores.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *