Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Cartão Vermelho ao Trabalho Infantil

Fotos: Edney Martins
Parceiros da Campanha Cartão Vermelho ao Trabalho Infantil reuniram hoje, na Escola Judicial do TRT8, a fim de tratar de ações concretas de combate ao trabalho infantil. No próximo domingo (28), pela manhã, juízes, advogados, fiscais do trabalho, procuradores, promotores de justiça e demais parceiros irão fazer abordagem popular na Praça da República. Conforme destaca a juíza do Trabalho Zuíla Lima Dutra, membro da Comissão Nacional e gestora regional do projeto, o objetivo é mostrar para as pessoas que o trabalho infantil é um prejuízo para a sociedade como um todo.

A campanha Cartão Vermelho ao Trabalho Infantil é uma das ações que vêm sendo implementadas pelo TRT8, por força do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil, instituído em 2012 pelo TST e Conselho Superior da Justiça do Trabalho. A intenção é desenvolver, em caráter permanente, diversas ações em prol da erradicação do trabalho infantil e da adequada profissionalização do adolescente, com ênfase na conscientização da sociedade quanto às atividades prioritárias da criança: brincar e estudar. “Precisamos mudar a concepção secular de que, para a criança pobre, “é melhor trabalhar do que ficar na rua”, ou “é melhor trabalhar do que roubar”, pois as estatísticas mostram que a criança que trabalha tem seu futuro irremediavelmente comprometido”, realça a juíza Zuíla Dutra. 

O último senso do PNAD (2012) demonstrou que ainda há 3,5 milhões de crianças de 5 a 17 anos trabalhando no Brasil, e o Estado do Pará ocupa o 6º lugar no ranking do trabalho infantil, embora a região Norte do País, como um todo, tenha obtido resultados excelentes nos últimos vinte anos: saiu de um patamar de 24,9% – que era o maior índice de trabalho infantil do País -, na década de 1990, para 8,2%, atualmente, o maior avanço conquistado nacionalmente, o que prova ser possível extirpar essa chaga social, e que é preciso avançar mais e mais. 
Até agora, já são parceiros do projeto a Associação dos Magistrados Trabalhistas (Amatra8), Escola Judicial da 8ª Região (Ejud8), TJE-PA, Clube do Remo, Paysandu Esporte Club, Federação Paraense de Futebol, Ministério Público do Trabalho (MPT8), Ministério Público do Estado do Pará, Ministério do Trabalho e Emprego-SRTE/PA, OAB-PA, Associação dos Advogados Trabalhistas do Pará (ATEP-PA), Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho, Governo do Estado do Pará (via Segup), e Vitrine Ltda. (empresa de Marudá-PA). 

Na quarta-feira passada (17), foi assinado o Termo de Compromisso entre o TRT8 e o Governo do Pará, MPT8, MPE-PA, SRTE-PA, OAB-PA, ATEP-PA, Sinait e a empresa Vitrine. Durante a cerimônia, a presidente do TRT8, Desembargadora Odete de Almeida Alves, que se despedia do cargo e da Corte, alcançada pela compulsória, destacou a atuação das magistradas Zuíla Dutra, titular da 5ª VT de Belém e Vanilza de Souza Malcher, titular da 2ª VT de Belém, que estão à frente da campanha pelo TRT8, considerando este um momento ímpar na vida do tribunal. O atual presidente do TRT8, Desembargador Vicente Malheiros da Fonseca, também é um entusiasta do projeto, e a presidente da Amatra8, juíza Claudine Rodrigues, sua grande apoiadora.
Na ocasião, o procurador geral de Justiça, Marcos Antônio Ferreira das Neves, salientou que “o Poder Judiciário está de parabéns por sair do seu papel passivo e ir para a rua, para a sociedade”. 
Sebrae e Fecomércio-PA, em breve, firmarão o Termo de Compromisso da Campanha. Aliás, o presidente da Fecomércio, Sebastião Campos, já participou hoje da reunião no TRT, quando ficou estabelecida, também, a criação de um selo com o qual o tribunal irá distinguir os órgãos e empresas participantes da campanha que desenvolvam com sucesso atividades dentro do conceito proposto. 
A campanha tem sido presente em todos os grandes eventos no Pará. Atletas (sub-20, mirins e profissionais) e torcedores dos dois maiores clubes de futebol parauaras levantam o cartão vermelho de combate ao trabalho infantil antes de cada partida. Remo e Paysandu entram em campo com a faixa: “Neste jogo todos somos juízes. Dê cartão vermelho ao trabalho infantil!”. O juiz de Direito Cláudio Rendeiro fez stand up do seu personagem Epaminondas Gustavo, na Faculdade de Castanhal- FCAT, para ajudar a campanha. Ouçam o áudio aqui. Palestras têm sido feitas em escolas, material de divulgação tem sido distribuído em Belém e no interior. Participe você também!

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *