Governador do Pará e presidente do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, Helder Barbalho está com agenda intensa em Brasília, e em reunião com Lula nesta sexta-feira (27) apresentou documento proposto pelo CAL. Para o desenvolvimento regional do bioma amazônico,…

O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Carta aos paraenses

Foto: Jean Brito

“No momento em que vozes isoladas clamam pela volta da ditadura militar no Brasil, infiltradas em legítimas manifestações democráticas dos que querem o aperfeiçoamento da gestão pública em nosso país, nós entendemos necessário alertar para o perigo que isso representa à paz social. 


Não é possível ignorar que, sob a ditadura militar, a pretexto de combate à corrupção e ao comunismo, graves violações aos direitos humanos foram cometidas, incluindo mortes, torturas e o desaparecimento de pessoas, fatos que ainda não foram adequadamente apurados e punidos. 

Por isso é necessário expressar o nosso repúdio aos que, de má fé, ou ignorância, tentam manipular a opinião pública, apresentando a volta dos militares ao poder, fora das vias institucionais, como a solução para todos os males e dificuldades vividas pelos brasileiros no atual momento. 

A luta pelo restabelecimento das liberdades democráticas no Brasil foi grande, inclusive em benefício dos que querem hoje a volta da ditadura, por isso o momento não é de calar, mas de atenção e cuidado. 

É preciso lembrar para não repetir. 

Assembléia Legislativa do Pará, em 31 de março de 2015.”

* Documento conjunto da Comissão Estadual da Verdade do Pará e da Comissão de Direitos Humanos da Alepa, lido e assinado por todas as entidades representadas na audiência pública de hoje, inclusive pelo secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos, Michel Durans, representando o Governo do Estado, e as vereadoras Sandra Batista e Marinor Brito, da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Belém.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *