Barcos regionais a motor, veleiros, vigilengas, rabetas, bajaras, canoas ubás, igarités, catraias, botes fazem parte da memória afetiva, produtiva e econômica parauara, navegando pelo oceano Atlântico, baías, rios que mais parecem mares, lagos, igarapés, furos, estreitos, igapós e campos alagados…

Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Çairé começa com busca dos mastros

Fotos: Tamara Saré
Quem nunca viu precisa pelo menos uma vez na vida ir lá conferir um ritual que se repete há séculos e marcou hoje o início oficial da festa do Çairé, na paradisíaca Vila de Alter-do -Chão, em Santarém do Pará. O estandarte da Santíssima Trindade, símbolo da festa, foi conduzido nas ruas pelos personagens juiz e juíza, saraipora, mordomos e moças da fita.
Depois, da Praia do Cajueiro, uma colorida procissão de canoas e barcos enfeitados com fitas se deslocou até a floresta do Lago Verde, em busca dos dois mastros que serão erguidos na Praça do Çairé na próxima quinta-feira (11), enfeitados com frutas, simbolizando a fartura da festa. Durante todo o trajeto foi servido o tarubá, deliciosa bebida indígena fermentada feita de mandioca. Quem vai beber pela primeira vez não pode ir com muita sede ao pote, há um certo teor alcoólico. Às margens do Lago Verde, homens e mulheres carregaram, separadamente, os seus mastros até as embarcações que os levaram de volta à vila. Sob a supervisão de um técnico da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a organização da festa plantou 20 mudas de quatro espécies, como forma de compensação ambiental. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *