Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Belém quer ter orla, vereadores!

O Movimento Orla Livre realiza na segunda-feira, 9, o Seminário “Da orla que temos à orla que queremos”, às 14h, na Câmara Municipal de Belém.
O evento discutirá a possibilidade de um Plano de Gestão Integrada da Orla de Belém, através da adesão ao Projeto Orla do governo federal, cujas ações buscam o ordenamento dos espaços litorâneos e estuarinos sob domínio da União, aproximando as políticas ambiental e patrimonial, com ampla articulação entre as três esferas de governo e a sociedade.

Está passando da hora de tomar providências, antes que fechem com um paredão de prédios toda a orla de Belém, que assim virará uma estufa insuportável, além de retirar toda a sua beleza. Na minha opinião, a primeira medida deve ser voltar com o antigo gabarito para construções, que antes da ação nefasta de certos vereadores não permitia a altura atual e a especulação imobiliária desenfreada que isto provocou. Não adianta ficar gritando, as ações devem ser eficazes e forçosamente passam pelo Plano Diretor Urbano e intervenção do Poder Legislativo do município, que tem que se mexer. A sociedade precisa exigir de seus representantes mais do que discursos. E ceifar da vida pública os que não corresponderem aos interesses da coletividade. Daqui a dois anos acabam os atuais mandatos. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *