Em iniciativa inédita, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro celebra os percursos individuais e coletivos que construíram as políticas de salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, lançando a obra “Em Defesa do Patrimônio Cultural”, organizado por…

Neste sábado, 16, postos de saúde ficarão abertos para a vacinação com foco em menores de 15 anos. Em Belém, 11 unidades vão funcionar das 8h às 14h. A campanha da Multivacinação iniciou no dia 04 de outubro e segue…

De autoria do carnavalesco e professor Paulo Anete, o enredo para o Carnaval 2022 da Escola de Samba Grêmio Recreativo Carnavalesco e Cultural Os Colibris, de Belém do Pará, é “Zélia Amada/ Zélia de Deus/ Zélia das Artes/ Herdeira de…

Batizada de sagui-de-Schneider (Mico schneideri), em homenagem ao pesquisador brasileiro Horácio Schneider (1948-2018), geneticista da Universidade Federal do Pará e pioneiro da filogenética molecular de primatas, a descoberta alvoroçou a comunidade científica internacional. A nova espécie de sagui amazônico do…

As mumunhas do jogo político

A pesquisa do Ibope para o governo do Pará, divulgada ontem à noite pela TV Liberal, confirma o que todos os que observamos o cenário político já sabíamos: há um empate técnico entre o governador Simão Jatene(PSDB) e Helder Barbalho(PMDB): Jatene com 24% e Helder 22% na espontânea e Helder 38% e Jatene 37% na estimulada. Só faltava conhecer o patamar. A dedução é simples, para quem conhece as mumunhas do jogo: se alguém estivesse na frente já teria alardeado a vantagem. Mas todos, embora fizessem constantes sondagens, mantinham-se em mutismo. Só que, em alguns casos, o silêncio é revelador.
 

É claro que cada qual usará perante a opinião pública o resultado desta pesquisa como lhe convier. Contudo, o jogo está apenas no início e será curtíssimo. A campanha eleitoral na TV e rádio começa nesta terça-feira e nela cada um vai ter o que mostrar. Ou não. Trabalho, ideias, realizações, baixarias. E é aí que as coisas começam a se definir perante o distinto eleitor. Parece evidente, entretanto, que a fatura seja decidida no primeiro turno, em placar apertado, e que o fiel da balança seja a região metropolitana de Belém, a mais povoada do Pará e que, naturalmente, concentra mais eleitores, face a inexistência de uma terceira via (todos os demais candidatos figuram com apenas 2% na espontânea, e na estimulada Marco Antônio(PCB) e Zé Carlos(PV) estão com 3%, Elton Braga(PRTB) e Marco carrera(PSOL) com 2%. Indecisos somam 9% e votos brancos e nulos, 6%).
 

Na disputa para o Senado,  Paulo Rocha (PT) e Mário Couto (PSDB) têm 16%; Duciomar Costa (PTB) 14% e Jefferson Lima (PP) 13%. Mas Paulo Rocha e Duciomar estão com suas candidaturas indeferidas pelo TRE-PA. Helenilson Pontes (PSD) tem 4%; Ângela Azevedo (PSTU) 3%; Eliezer Barros (PRTB), Pedrinho Maia (PSOL) e Renato Rolim (PCB) 1% cada.
 
Para a Presidência da República, obviamente, a pesquisa está prejudicada diante dos últimos acontecimentos e só com a definição de quem sucederá Eduardo Campos e a definição de sua vice é que o novo cenário se desenhará.
 
Até lá, exercitaremos a futurologia.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *