0

A Academia Paraense de Letras celebrou em sessão especial a memória de Domingos Antônio Raiol, o Barão de Guajará, fundador e primeiro presidente da APL – a terceira mais antiga do Brasil, antecedida apenas pela Academia Brasileira de Letras e pela Academia Cearense. Ele fundou e presidiu também o Instituto Histórico e Geográfico do Pará, em 1900, ambos os Sodalícios no mesmo dia, hora e local, o Theatro da Paz, em Belém. Na mesma sessão, o presidente da APL, advogado, escritor e professor Ivanildo Alves, inaugurou oficialmente a placa que denomina “Salão Plenário Barão de Guajará” a sala de sessões da Academia, convidando para o honroso e histórico momento de descerramento da placa a presidente da Academia Paraense de Jornalismo, Franssinete Florenzano, os representantes do IHGP-PA, Walbert Monteiro, e da Academia Paraense de Letras Jurídicas, Célio Simões, a primeira secretária da APL, escritora e professora Nazaré Uchoa; os médicos e escritores Amaury Braga Dantas e Cláudio Guilhon, o escritor e editor da Academia, Flavio Quinderé; o advogado, escritor e poeta Zenaldo Coutinho, o promotor de justiça Benedito Wilson Sá, todos imortais da APL, e o presidente da Academia de Letras de Castanhal, professor Hugo Luís, que outorgou a Ivanildo Alves comenda da ALC pelos relevantes serviços prestados no fortalecimento de todas as congêneres.

Coube ao promotor de justiça, escritor e professor Benedito Wilson Sá o discurso oficial sobre Domingos Antonio Raiol, o Barão de Guajará.

Para lembrar Ildefonso Guimarães, grande personalidade literária do século XX, acadêmico, escritor e jornalista e orgulho de seus conterrâneos obidenses, embora tenha nascido em Santarém (PA), o advogado Célio Simões proferiu palestra no “Quarto de Hora”, programação da Academia que reserva quinze minutos para explanação acadêmica. Célio é escritor, poeta, palestrante e memorialista, vice-presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da APL, do IHGP-PA e do Instituto dos Advogados do Pará, além de correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós.

Na ocasião, o decano da APL e membro do IHGP-PA, advogado, professor, pesquisador e escritor Avertano Rocha, brindou os presentes com reminiscências históricas sobre Ildefonso Guimarães e o Barão de Guajará.

Ainda na mesma solenidade, o presidente Ivanildo Alves e a Primeira-Secretária Nazaré Mello Soares Uchoa lançaram oficialmente o Prêmio Samuel MacDowell, renomado concurso literário promovido pela Academia Paraense de Letras.

Nesta quinta-feira, dia 27, em sessão solene conjunta da APL e do IHGP-PA, sob o comando de seus respectivos presidentes, Ivanildo Alves e Anaíza Vergolino, será a vez da inauguração do pedestal encimado pelo busto do Barão de Guajará, no jardim do Silogeu. O orador oficial da cerimônia será o jornalista, pesquisador e escritor Walbert Monteiro, que é membro da APL, do IHGP-PA (ocupante da cadeira nº 25, patronímica a José Coelho da Gama Abreu – Barão do Marajó), e diretor da Academia Paraense de Jornalismo.

Confiram as fotos e vídeos do evento, muito prestigiado pelos acadêmicos e expoentes do meio cultural parauara, inclusive por Ildefonso Guimarães Filho, primogênito do homenageado; o procurador de justiça Waldir Macieira, representando o Ministério Público do Estado do Pará; a advogada e empresária Nalva Avertano Rocha, o jornalista e escritor Antonio Gurjão Praxedes e os advogados e escritores Mário Paiva e Victor Hall de Moura Carvalho Valinoto.

Cliquem aqui para ler na íntegra a palestra de Célio Simões sobre Ildefonso Guimarães. Amanhã estarão disponíveis também as palestras do promotor de justiça Benedito Wilson Sá e de Walbert Monteiro, aqui e na editoria de Cultura do Portal Uruá-Tapera.

Utinga recebeu mais oito ararajubas

Anterior

TRE-PA emite Zerésima de Totalização neste sábado

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *