Área contígua ao centro histórico de Belém do Pará, Zona Especial do Patrimônio Histórico declarada por lei, o bairro do Reduto, cenário industrial da belle Époque, da Doca do Reduto no início do século XX, com suas canoas coloridas repletas…

A Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça fixou, sob o rito dos recursos repetitivos, a tese de que o servidor federal inativo, independentemente de prévio requerimento administrativo, tem direito à conversão em dinheiro da licença-prêmio não usufruída durante a…

O prefeito Edmilson Rodrigues cumpriu agenda institucional em Brasília, ao lado do secretário municipal de Gestão e Planejamento, Cláudio Puty. No Ministério da Economia, trataram das obras de saneamento básico no Canal do Mata Fome, no bairro do Tapanã, onde…

O leite materno contém propriedades importantes para o crescimento e desenvolvimento do bebê, fortalecendo a sua imunidade contra diversas doenças. Em 1992 a Aliança Mundial de Ação Pró-Amamentação criou a Semana Mundial de Aleitamento Materno, de 1 a 7 de…

Ação Civil Pública contra João Salame

O juiz Daniel Gomes Coelho recebeu a Ação Civil Pública ajuizada pela 11ª Promotoria de Justiça de Marabá contra o prefeito João Salame(PROS) e o município, por violação dos princípios administrativos da transparência e da publicidade, ao não publicar dados no Portal da Transparência. O magistrado verificou em 24 de junho de 2014 que diversos links do portal da prefeitura estão com defeito e outras páginas não exibem na forma devida informações necessárias para garantir a plena publicidade dos atos oficiais. Em seu despacho, assinala que a omissão “não consistiu em omissão breve, caracterizada, por exemplo, por eventual problema de hospedagem ou no domínio do site eletrônico da prefeitura” mas sim “em omissão consciente por mais de 01 (um) ano sem divulgar de forma clara e detalhada a administração do erário“. 

O MP pede a condenação de Salame por improbidade administrativa, incluindo perda da função pública, suspensão dos direitos políticos por cinco anos, multa civil e impedimento para receber benefícios de órgãos públicos por três anos. Já existe no processo decisão determinando a adequação do Portal da Transparência de Marabá à legislação em vigor, sob pena de multa diária no valor de R$5 mil aplicada à pessoa do prefeito e de multa de um por cento sobre o valor da causa contra a prefeitura, em caso de descumprimento.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *