0

A presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Pará, desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento, e o diretor geral da Organização Social Associação Polo Produtivo Pará, Artur Jansen, que administra a Fábrica Esperança, celebraram parceria que resultou no projeto “Votos de Esperança”, através de Termo de Cooperação.

O projeto consiste na transformação de urnas de lona inservíveis para votação em sacolas e mochilas ecológicas. A confecção dos produtos é um trabalho dos egressos do Sistema Penitenciário do Estado do Pará atendidos pela Fábrica Esperança, que já utilizaram mais de duas mil urnas de lona no projeto de descarte sustentável. Todas elas estavam com avarias e, por isso, foram consideradas sem utilidade pela Comissão de Desfazimento do Tribunal. A lona é um tecido de uso intensivo empregado em produtos de grande resistência e durabilidade.

Além da reciclagem, que ajuda a reduzir os resíduos sólidos, e reaproveitamento do material em algo útil, a ação do TRE-PA incentiva a ressocialização de egressos do sistema prisional, que têm a oportunidade de aprender um ofício e poder retornar à sociedade com dignidade. Os ex-prisioneiros sofrem preconceito e são excluídos do mercado de trabalho, e o tribunal age concretamente transformando vidas.

A parceria não envolve qualquer ônus financeiro para o Tribunal, mas o “Votos de Esperança” impacta fortemente na vida de seu público-alvo. Permite a reinserção social, viabiliza a capacitação profissional, geração de emprego, renda e educação. As mochilas e sacolas ecológicas serão distribuídas como parte do material de apoio que os alunos da Associação Polo Produtivo Pará recebem ao iniciar seus cursos, juntamente com uniformes e material didático.

Foto: Thalles Puget  

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Novo desembargador do TRT8

Anterior

O dever cívico de ajudar vítimas de escalpelamento

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *