Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Vigia de Nazaré 402 anos

A histórica Vigia de Nazaré completa hoje 402 anos. Surgiu de aldeia de índios Tupinambás, cujo nome era ‘Uruitá’ e em 1854 passou a cidade. 
Reconhecida como uma das mais antigas comunidades da Amazônia brasileira, colonizada por portugueses, tem entre seus ícones a Igreja de Nossa Senhora Madre de Deus, construída com porte de catedral e grande riqueza interna; a Capela do Senhor dos Passos (Igreja de Pedras), toda em pedras sobrepostas e sem reboco, conhecida, ainda, como Igreja do Bom Jesus, porque lhe guardava a imagem, ambas datadas do século XVIII e erguidas pelos jesuítas; e o Trem de Guerra, hoje sede da Câmara dos Vereadores da cidade, onde durante a Cabanagem as autoridades locais se refugiaram durante a invasão dos cabanos. 
A orla, banhada pelo rio Guajará Mirim, pontilhada de embarcações, é outro atrativo. Guarda a memória da carpintaria ribeirinha na Amazônia. É de lá  que vem o termo vigilenga para a embarcação mestiça das técnicas portuguesa e indígena. A Igreja do Menino Deus, na ilha de Itapuá, e o Clube União Vigiense, que simboliza a musicalidade de seus habitantes, também são marcos dessa linda cidade. 

As fotos são de Marcos Cardoso Puff.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *