Evellyn Vitória Souza Freitas nasceu no chão do banheiro do Hospital Municipal de Portel, município do arquipélago do Marajó (PA), no dia 28 de julho de 2021, por volta das 8h da manhã, prematura de 28 semanas e dois dias, pesando 1Kg e 39…

Vanete Oliveira, a jovem marajoara de 28 anos e mãe de cinco filhos que sofre há catorze anos com um tumor enorme em um dos olhos, que lhe cobre quase a metade da face, já está internada no Hospital Ophir…

Equipes da Divisão de Homicídios e da Delegacia de Repressão de Furtos e Roubos estavam monitorando há um mês o grupo criminoso que planejava roubar em torno de R$ 1 milhão no caixa eletrônico do Banpará localizado dentro do Hospital…

Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

Vereador se apossa de escola em Tucumã

Vejam esta denúncia que o deputado João Chamon Neto(PMDB) fez ontem, na tribuna e depois pessoalmente à secretária de Estado de Educação, Ana Cláudia Hage, que foi à Alepa, em reunião-almoço promovida pelo presidente da Casa, deputado Márcio Miranda(DEM): o vereador José Gonçalves da Cruz, o Zé do Signus(PSD), de Tucumã, é o autor do requerimento 002/2013, aprovado pela Câmara Municipal local, solicitando ao Governo do Pará que a denominação da Escola Estadual do Setor Palmeira II seja “Professora Maria Nilza de Oliveira”, educadora cujo trabalho se destacou no município. Pois bem. Acontece que o mesmíssimo vereador, ao perder o filho, mudou de ideia e entendeu que o nome de seu filho é que deveria ser o da escola. Como encontrou resistência da diretora da instituição de ensino, professora Roxane, ela sofreu assédio moral e foi exonerada por sua pressão política, assim como vários outros servidores, substituídos por indicações do vereador. Não satisfeito, ele foi à escola – que diz ser de sua propriedade -, tomou as chaves na marra, mandou pintar nela o nome de seu filho e o resultado é que a escola não está funcionando, em prejuízo dos jovens estudantes.

A secretária Ana Cláudia Hage – que é professora da Seduc há 29 anos – ficou indignada e declarou que vai imediatamente retomar a escola e fazê-la funcionar dentro dos objetivos da educação pública. Por sua vez, o deputado Chamon apresentou o projeto de lei nº 67/2015, no sentido da denominação da escola em tela ser “Escola Estadual Profa. Maria Nilza de Oliveira’. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *