A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

O governador Helder Barbalho está soltando a conta-gotas os nomes dos escolhidos para compor o primeiro escalão de seu segundo governo. Nesta quarta-feira será a posse dos deputados estaduais e federais e dos senadores, e a eleição para a Mesa…

Pela primeira vez na história, está em curso  um movimento conjunto da Academia Paraense de Letras, Academia Paraense de Jornalismo, Instituto Histórico e Geográfico do Pará e Academia Paraense de Letras Jurídicas, exposto em ofício ao governador Helder Barbalho, propondo…

Vereador se apossa de escola em Tucumã

Vejam esta denúncia que o deputado João Chamon Neto(PMDB) fez ontem, na tribuna e depois pessoalmente à secretária de Estado de Educação, Ana Cláudia Hage, que foi à Alepa, em reunião-almoço promovida pelo presidente da Casa, deputado Márcio Miranda(DEM): o vereador José Gonçalves da Cruz, o Zé do Signus(PSD), de Tucumã, é o autor do requerimento 002/2013, aprovado pela Câmara Municipal local, solicitando ao Governo do Pará que a denominação da Escola Estadual do Setor Palmeira II seja “Professora Maria Nilza de Oliveira”, educadora cujo trabalho se destacou no município. Pois bem. Acontece que o mesmíssimo vereador, ao perder o filho, mudou de ideia e entendeu que o nome de seu filho é que deveria ser o da escola. Como encontrou resistência da diretora da instituição de ensino, professora Roxane, ela sofreu assédio moral e foi exonerada por sua pressão política, assim como vários outros servidores, substituídos por indicações do vereador. Não satisfeito, ele foi à escola – que diz ser de sua propriedade -, tomou as chaves na marra, mandou pintar nela o nome de seu filho e o resultado é que a escola não está funcionando, em prejuízo dos jovens estudantes.

A secretária Ana Cláudia Hage – que é professora da Seduc há 29 anos – ficou indignada e declarou que vai imediatamente retomar a escola e fazê-la funcionar dentro dos objetivos da educação pública. Por sua vez, o deputado Chamon apresentou o projeto de lei nº 67/2015, no sentido da denominação da escola em tela ser “Escola Estadual Profa. Maria Nilza de Oliveira’. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *