O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Brega no Pará é coisa séria. Tem Brega Pop, Brega Calypso, Brega Marcante, Brega Saudade, Tecnobrega, Melody, Tecnomelody … Verdadeiro hino (música oficial dos 400 anos de Belém), não há quem desconheça o clássico Ao Por do Sol, eternizado na…

Uma reunião no Ministério Público do Estado do Pará colocou em pauta a situação caótica da Unidade de Conservação Estadual Área de Proteção Ambiental da Ilha do Combu, onde proliferam construções e empreendimentos comerciais irregulares, transporte fluvial desordenado, festas e…

Fulano de Tal

Valor de mercado da Eletrobras pode chegar a R$ 90 bilhões

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, afirmou nesta quarta-feira (20) que a expectativa do governo é que o valor da Eletrobras suba para R$ 80 bilhões a R$ 90 bilhões após a sua privatização.

“A empresa valia R$ 9 bilhões, hoje já vale R$ 30 bilhões e, com esse processo de democratização do capital, nossa expectativa é ver a Eletrobras, em um futuro breve, valendo de R$ 80 bilhões a R$ 90 bilhões”, disse. A privatização da Eletrobras foi anunciada em agosto pelo governo.

Coelho Filho participou de um seminário em Nova York, nos Estados Unidos, que discutiu oportunidades de investimentos no Brasil nos setores de transportes, energia, petróleo e gás.

Decisões futuras

Ao explicar como será feito o processo de privatização, o ministro afirmou que o governo não irá votar quando a Eletrobras for decidir quais usinas ela comprará da União.

Segundo o ministro, o governo vai ofertar para a Eletrobras uma série de usinas que estão no chamado sistema de cotas. Esse sistema foi criado em 2012 pelo governo da ex-presidente Dilma Rousseff, dentro do plano que levou ao barateamento das contas de luz.

Essas hidrelétricas recebem uma remuneração mais baixa pela produção de energia que, por isso, chega com preço menor aos consumidores. O governo, porém, alega que um custo extra pela falta de chuva acaba encarecendo a energia dessas usinas e prejudica os consumidores. Por isso, quer que essa eletricidade volte a ser comercializada pelo valor de mercado.

A Eletrobras decidirá com quais pretende ficar e, para isso, pagará uma outorga à União. Para conseguir pagar pelas usinas, a Eletrobras venderá participação da empresa na bolsa de valores. Com essa oferta de ações, a participação do governo será reduzida. Hoje o governo tem 61% da estatal e a expectativa é que a participação fique abaixo de 50%.

Fonte: Globo.com

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

0 resposta em “Fulano de Tal”