A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

O governador Helder Barbalho está soltando a conta-gotas os nomes dos escolhidos para compor o primeiro escalão de seu segundo governo. Nesta quarta-feira será a posse dos deputados estaduais e federais e dos senadores, e a eleição para a Mesa…

Pela primeira vez na história, está em curso  um movimento conjunto da Academia Paraense de Letras, Academia Paraense de Jornalismo, Instituto Histórico e Geográfico do Pará e Academia Paraense de Letras Jurídicas, exposto em ofício ao governador Helder Barbalho, propondo…

Um bebê empelicado

A equipe multidisciplinar do centro obstétrico da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, em Belém (PA), vivenciou uma experiência rara e emocionante: o parto empelicado. Imaginem um bebê nascendo dentro da placenta intacta, com os movimentos visíveis, praticamente ainda no meio intrauterino, em contato com a mãe. Esse fenômeno extraordinário – cuja ocorrência a literatura médica aponta uma vez a cada 80 mil nascimentos –  acontece quase sempre em cesarianas, porque em geral a bolsa se rompe quando o bebê é expelido pela vagina. E quando em partos normais, na maior parte das vezes o bebê é prematuro. Pois na Santa Casa do Pará, além de ter sido em parto normal, eram gêmeos e um deles veio ao mundo dentro da bolsa e envolto no líquido amniótico.

Miguel e Gabriel são filhos da neuropsicóloga Carolline Sanches, 29 anos, e do técnico de enfermagem Mariano Alves. Miguel nasceu às 10h55n com 2,300 quilos e 44 centímetros; Gabriel, às 10h57, com 2,160 Kg e 42 cm. O pai dos gêmeos participou ativamente do nascimento dos filhos, em momento de extrema emoção gravado em vídeo: foi ele quem rompeu a bolsa amniótica que envolvia Gabriel.

Carolline contou que fez o pré-natal no Ambulatório da Mulher da Santa Casa e manifestou sua gratidão pelo atendimento que ela e os bebês receberam dos profissionais, que ainda presentearam a família com uma arte da placenta. Batizado de “A emoção do parto eternizada”, o projeto começou a ser implantado na unidade em julho deste ano e integra a estratégia do setor de obstetrícia do hospital, reconhecido como Amigo da Criança. Depois de higienizada, a placenta recebe tintas à base de água, depois é carimbada em uma folha de papel cartão, e entregue na alta hospitalar.

A Santa Casa de Misericórdia do Pará é referência no atendimento à gestação de alto risco e realiza mais de duzentos partos gemelares por ano. Mantém atendimento porta-aberta 24 horas, recebe diariamente gestantes de todo o estado e conta com quatro salas cirúrgicas exclusivas para a obstetrícia e dez salas de PPPs (pré-parto, parto e pós-parto) estruturadas com barra de ling, camas PPP, cavalinho, bolas de pilates, banquetas e disponibilidade de água morna, entre outras condições, onde é trabalhado o parto de forma humanizada.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *