Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Terminal fluvial de Santarém

FOTO: SAMUEL ALVARENGA
Finalmente Santarém, cidade tipicamente ribeirinha e a maior e mais importante do Oeste do Pará, vai ganhar um terminal hidroviário de cargas e passageiros. Apesar de ser polo regional, e o transporte de produtos e de passageiros se dar eminentemente pelo rio, as pessoas são tangidas feito gado por estreitas e perigosas pranchas, para sofrimento principalmente de idosos, cadeirantes e mães de bebês. No embarcadouro improvisado em frente à Praça Tiradentes, no bairro da Aldeia, quando chove alaga tudo e até para os trabalhadores portuários fica impossível a atividade.

O terminal será no bairro da Prainha, na área onde funcionou a antiga fábrica da Tecejuta. Terá 3,6 mil metros quadrados de área construída, com sala de embarque e desembarque, guichês para venda de passagens, guarda-volume, banheiros, fraldário, praça de alimentação com 404 lugares, área de espera com 801 lugares, espaço para órgãos intervenientes (Arcon-PA, Juizado, Conselho Tutelar, Sefa, Capitania dos Portos, Receita Federal e Polícia Militar), além de quiosques de informações e loja, escada rolante, plataforma vertical, estacionamento com 120 vagas para carros, 90 para motos e 60 para bicicletas, ponto de táxi e paradas para ônibus e microônibus. 

O espaço terá 5,6 mil metros quadrados de área para uso das empresas de transporte fluvial, píer flutuante com 3.600 metros quadrados, oito fingers de atracação (4 x 15 metros), rampa metálica biarticulada de 10 x 70 metros para acesso ao flutuante e passarela em concreto de 2.494 metros quadrados, com circulação separada entre passageiros e cargas. 

A área para atracação terá capacidade para comportar até 17 embarcações ao mesmo tempo, de maneira organizada. A obra está orçada em R$ 59.884.105,61 e a previsão é a de que em agosto de 2019 esteja pronta para funcionar. Os recursos foram obtidos através de operação de crédito do Governo do Estado junto à Caixa Econômica Federal, num pacote de mais R$ 80 milhões, aprovado à unanimidade pela Assembleia Legislativa, que inclui a construção de outros seis terminais na região (Curuá, Almeirim, Prainha, Faro, Terra Santa e Santana do Tapará), todos com obras já iniciadas.
 

O sonho começou a virar realidade há quatro anos, quando o atual presidente da Companhia de Portos e Hidrovias do Estado, Alexandre Von, era prefeito de Santarém e desapropriou o imóvel, com o apoio do Ministério Público. Ano passado, o prefeito Nélio Aguiar fez a cessão de uso para o Estado.

A Marinha (através do seu Centro de Hidrografia), a Agência Nacional de Transportes Aquaviários, a Secretaria de Patrimônio da União, o Instituto do Patrimônio Histórico e Arquitetônico Nacional e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente autorizaram o projeto.

Participaram da assinatura da ordem de serviço pelo governador Simão Jatene o senador Flexa Ribeiro, o deputado federal Arnaldo Jordy,  o presidente da Alepa, deputado Márcio Miranda, o deputado estadual Hilton Aguiar, os secretários José Alberto Colares (Seplan), Vítor Mateus (Sespa), José Megale (Casa Civil), general Jeanot Jansen (Secretaria Extraordinária de Assuntos Extraordinários), o delegado geral da Polícia Civil, Rilmar Firmino, o comandante do CPR I, coronel Heldson Tomaso, o comandante do 3º BPM, tenente coronel Aldemar Maués, os prefeitos de Belterra (Jociclélio Macêdo), Mojuí dos Campos (Jailson Alves) e Alenquer (Frei Juraci), os vereadores de Santarém Ney Santana, Chiquinho da Umes, Janderilson Rêgo, Valdir Matias Júnior e Alaércio Cardoso, além de outras autoridades, lideranças comunitárias e a população em geral.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *