A igreja de São Francisco de Assis em Belém do Pará, carinhosamente chamada pelos fiéis de "Capuchinhos", completará cem anos de sua inauguração em 02 de outubro de 2022. A abertura oficial das festividades será com um concerto na igreja…

O trânsito continua matando mais do que muitas guerras. A administradora Gina Barbosa Calzavara, coordenadora dos bosquinhos da Universidade Federal do Pará, fez uma emocionante homenagem à memória do jovem Jean Serique Lameira, esportista do ciclismo e que também usava…

O Laboratório de Engenharia Biológica do Parque de Ciência e Tecnologia - PCT Guamá está estudando o sequenciamento genético do açaí, de modo a assegurar a rastreabilidade de ponta a ponta na cadeia produtiva e padrões de qualidade para os…

A Lei estadual nº 9.278/2021, que entrou em vigor em 30 de junho deste ano, instituindo a obrigação de que pessoas residentes em condomínios, conjuntos habitacionais e similares comuniquem à Polícia Civil, de forma imediata, qualquer tipo de agressão praticada…

Suspenso aumento na travessia do Marajó

Atendendo pedido da promotora de Justiça Melina Alves Barbosa e do defensor público Bernardo Brito de Moraes, que ajuizaram hoje Ação Civil Pública de obrigação de não fazer com antecipação de tutela,  a  Justiça determinou à Arcon-PA e à Henvil Navegação Ltda. que suspendam o aumento da tarifa hidroviária na travessia de balsa nos trechos Icoaraci-Camará e Camará-Icoaraci e restabeleçam de imediato os valores cobrados antes de junho de 2014, sob pena de multa diária. O aumento é considerado irregular, com base no índice de inflação oficial. Consta que a Arcon autorizou, no dia 25 de março de 2013, reajuste de 19,06% (fechando em R$90,95) para o transporte na mesma travessia. Agora em junho, novo aumento foi concedido, elevando a tarifa para R$108,10. Mas o índice de inflação oficial ficou em cerca de 7% nos últimos 12 meses. 

Segundo o MPE-PA e a Defensoria Pública, “a atitude arbitrária da Arcon e da concessionária Henvil Navegação Ltda. afetou a economia dos municípios de Salvaterra, Soure e Cachoeira do Arari, uma vez que cerca de 80% do abastecimento das cidades ocorre por intermédio de carregamentos de caminhões que fazem uso do serviço de balsa para chegar ao Porto de Camará“. 

Por outro lado, o procurador de Justiça Nelson Medrado mediou, hoje, no fórum de transporte intermunicipal de passageiros do Estado do Pará, alternativas para a desobstrução do porto do Camará, no município de Salvaterra.
Ficou acordado entre os membros do movimento Acorda Marajó e operadoras de serviços no arquipélago a suspensão do aumento, pelo prazo de dez dias úteis.
Acordaram ainda que, em seguida, será aplicado apenas o reajuste inflacionário do período, e ficou marcada a próxima reunião para o dia 02 de julho, às 10h, na Arcon.  

O comandante da PM em Soure, coronel Carlos Eduardo, fez um apelo para que os movimentos sociais encontrem um meio de resolver de forma pacífica a questão a fim de evitar que a população seja penalizada.
O encontro reuniu representantes do MPE-PA, Arcon, Ahimor, CPH, CPAOR, Grupamento Fluvial da Segup, Seinfra e PM, além de representantes do Movimento Acorda Marajó e Henvil.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *