O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Sugestão ao governador Simão Jatene

O Estúdio Ópera Pará-Amazônia, projeto
de Extensão da Escola de Música da Universidade Federal do Pará, e o Madrigal
da Universidade Estadual do Pará ultimam a montagem cênica da mais importante
ópera inglesa do período barroco. “Dido and Aeneas”, de Henry
Purcell, com libreto de Nahun Tate, estreia no próximo dia 07 e será reapresentada
nos dias 08 e 09 de agosto de 2012, sempre às 20 horas, no Teatro Cláudio
Barradas, em Belém do Pará. Direção musical e regência de
Milton
Monte
 e direção cênica de Guál
Dídimo
. O elenco é totalmente paraense e os solistas são
a soprano Elizabeth Melo (Dido), o tenor Alcântara Júnior (Enéas), a contralto Gabriella Florenzano (Sorceress),
a soprano Symone Serruya Elmescany (Belinda) e os tenores Wilson Ferreira
(Espírito) e Moisés Batista (Marinheiro).
Composta em 1689 e considerada a
primeira ópera genuinamente inglesa, Dido & Aeneas tem libreto baseado no
IV Canto da Eneida, de Virgílio. Relata a história de amor trágico de Dido,
rainha de Cartago, e do heroi troiano Eneas, encarregado pelos deuses de fundar
Roma. Em sua longa viagem, ele para em Cartago e se apaixona por Dido, que
retarda sua partida, no que é ajudada por sua amiga Belinda. Mas, enquanto os
enamorados estão caçando, a Sorceress (feiticeira) reúne bruxas numa caverna
para privarem Dido de fama, vida e amor. Uma tempestade é criada para atraí-los
para a caverna, onde um Espírito, passando-se pelo deus Mercúrio, ordena a
Eneas que deixe Cartago. O dever se impõe e Eneas segue em sua epopeia. Dido
sofre e morre de amor.
O espetáculo já está pronto e pode
perfeitamente ser integrado à programação do Festival de Ópera do Theatro da
Paz, deste ano. A maior parte dos cantores é oriunda do Conservatório Carlos
Gomes, do Madrigal da UEPA e da EMUFPA, os diretores e o regente também são
paraenses que fizeram um esforço hercúleo, sem patrocínio nem qualquer ajuda
oficial. Espera-se que o governador Simão Jatene seja sensível a tão bela e
importante iniciativa e acolha a montagem.



Serviço: o Teatro Cláudio Barradas fica na Rua Jerônimo Pimentel, 546, esquina com Tv. Dom Romualdo de Seixas, no bairro do Umarizal, em Belém do Pará. Telefone (91) 3249-0373 (das 14h às 21h). E-mail [email protected] Ingressos:
R$10, R$5 para estudantes.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *