Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

Sucessão de tragédias nos rios do Pará

Ainda nem foram esclarecidas as circunstâncias e responsabilidades pela recentíssima colisão e naufrágio com vítimas fatais no rio Amazonas, no Estreito de Óbidos, e outro trágico acontecimento ceifa vidas no Oeste do Pará. A sucessão de tragédias lança holofotes também para o transporte clandestino de passageiros e a falta de controle do modal hidroviário em plena Amazônia, onde os rios são as estradas naturais e 80 por cento da população utiliza a via fluvial para se deslocar.

A embarcação “Comandante Ribeiro” afundou por volta das 21h de ontem, no rio Xingu, entre Senador José Porfírio e Porto de Moz, perto da Ponta Negra, com cerca de 70 pessoas a bordo, das quais 10 vítimas fatais – seis mulheres, dois homens e duas crianças. O barco não estava autorizado pela Arcon-PA a transportar passageiros. A empresa foi notificada durante fiscalização no dia 5 de junho deste ano, mas nenhum representante compareceu ao órgão para regularizar a situação. E continuou a operar.

Equipes do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Polícia Militar, Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, Grupamento Fluvial e Diretoria de Telecomunicações da Secretaria de Segurança Pública estão no local. Duas aeronaves do Grupamento Aéreo duas lanchas do GFlu e mergulhadores da Segup, além do navio-patrulha “Bocaina”, da Marinha, ajudam as buscas. A Polícia Civil apura as causas do sinistro. Os consulados dos EUA e da Austrália procuraram as autoridades. É possível que cidadãos desses dois países estejam entre os náufragos.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *