O IV Distrito Naval da Marinha do Brasil, em parceria com o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), Praticagem da Barra do Pará, Sociedade Amigos da Marinha Pará, Secretarias de Saúde de Barcarena e do Estado do Pará, Tribunal…

Guy Veloso, filho do saudoso jurista, notário e político Zeno Veloso, plantou em sua memória um pé de baobá na Universidade Federal do Pará, onde o ilustre parauara se destacou como professor de direito civil e direito constitucional, formando gerações…

Evellyn Vitória Souza Freitas nasceu no chão do banheiro do Hospital Municipal de Portel, município do arquipélago do Marajó (PA), no dia 28 de julho de 2021, por volta das 8h da manhã, prematura de 28 semanas e dois dias, pesando 1Kg e 39…

Vanete Oliveira, a jovem marajoara de 28 anos e mãe de cinco filhos que sofre há catorze anos com um tumor enorme em um dos olhos, que lhe cobre quase a metade da face, já está internada no Hospital Ophir…

STJ manda indenizar concursado

Esta é para os concurseiros anotarem: à unanimidade, a Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça concedeu indenização de R$20 mil a candidato aprovado em processo seletivo temporário do Ministério da Integração Nacional que não foi nomeado. 

O concurso, em 2006, previa a contratação por prazo não superior a quatro anos. Classificado dentro do número de vagas do edital, acabou o prazo de validade e o concursado não foi chamado. Ele requereu indenização equivalente à remuneração que deixou de receber no período de contratação, além de danos morais. Em primeira instância, os pedidos foram julgados improcedentes, mas a sentença foi reformada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que fixou em R$ 100 mil a indenização. 

Ao analisar recurso especial da União, o ministro Benedito Gonçalves destacou a gravidade da conduta da administração pública, que, ao agir de forma imprudente ao fixar as vagas e não convocar todos os aprovados, gerou sofrimento desnecessário ao candidato. Todavia, com base em decisões do STJ em casos análogos, diminuiu o valor para R$20 mil, o que foi confirmado pela Turma do STJ.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *