Em iniciativa inédita, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro celebra os percursos individuais e coletivos que construíram as políticas de salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, lançando a obra “Em Defesa do Patrimônio Cultural”, organizado por…

Neste sábado, 16, postos de saúde ficarão abertos para a vacinação com foco em menores de 15 anos. Em Belém, 11 unidades vão funcionar das 8h às 14h. A campanha da Multivacinação iniciou no dia 04 de outubro e segue…

De autoria do carnavalesco e professor Paulo Anete, o enredo para o Carnaval 2022 da Escola de Samba Grêmio Recreativo Carnavalesco e Cultural Os Colibris, de Belém do Pará, é “Zélia Amada/ Zélia de Deus/ Zélia das Artes/ Herdeira de…

Batizada de sagui-de-Schneider (Mico schneideri), em homenagem ao pesquisador brasileiro Horácio Schneider (1948-2018), geneticista da Universidade Federal do Pará e pioneiro da filogenética molecular de primatas, a descoberta alvoroçou a comunidade científica internacional. A nova espécie de sagui amazônico do…

Brasil recua no combate à escravidão

O chefe da Divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo do Ministério do Trabalho, André Esposito Roston, declarou que a política de combate ao trabalho escravo estava sendo reduzida e condicionada às negociações de emendas com a bancada ruralista. Pra que! Hoje foi publicada no DOU a sua exoneração. 

Segundo o Observatório Digital do Trabalho Escravo, ferramenta do Ministério Público do Trabalho e da Organização Internacional do Trabalho, só 18 operações foram realizadas em 2017. No ano passado, no mesmo período, foram 106, e em 2015, 155. Aliás, desde 2005 nenhum ano teve menos que 100 ações do tipo. 

Em nota conjunta, a Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo, a Coordenadoria Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo do Ministério Público do Trabalho; a Comissão Pastoral da Terra, a Confederação Nacional dos Trabalhadores Assalariados e Assalariadas Rurais, o Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, o Instituto Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo e a ONG Repórter Brasil acusam o governo de ignorar diretriz imposta por sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos (que recentemente condenou o Brasil em caso de trabalho escravo) e de arruinar uma política pública que deveria ser prioritária do Estado brasileiro.   

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *