Governador do Pará e presidente do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, Helder Barbalho está com agenda intensa em Brasília, e em reunião com Lula nesta sexta-feira (27) apresentou documento proposto pelo CAL. Para o desenvolvimento regional do bioma amazônico,…

O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

SOS Melgaço

FOTO: HELENA PALMQUIST
Melgaço, no Marajó, ganhou triste notoriedade por deter o menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil, em 2013. O impacto serviu para mobilizar os seus 26 mil habitantes, mas a situação continua difícil, com denúncias de famílias passando fome, problemas ambientais e carências na saúde e na educação. A exemplo dos demais municípios marajoaras, as queixas passam pela alimentação escolar insuficiente, transporte escolar precário, desafios no atendimento à saúde, falta de sistemas de água e esgoto, obras públicas inacabadas e problemas na rede elétrica.

No último dia 30, como parte da itinerância fluvial cooperativa da Amazônia, o Ministério Público Federal promoveu audiência pública na cidade a fim de debater os direitos dos cidadãos, com a presença de vereadores, lideranças comunitárias e secretários municipais. A maior parte dos moradores reclamou da criminalidade e do tráfico de drogas, problemas ambientais e conflitos causados por empresas de fora quando da retirada de recursos naturais da região, rica em madeira, palmito, camarão e açaí. 

Parte do território do município integra a mais antiga unidade de conservação do País, a Floresta Nacional de Caxiuanã, onde recentemente o Serviço Florestal Brasileiro liberou a exploração madeireira por meio de concessão. O edital prevê 40 anos de retirada de madeira das florestas e a preocupação das lideranças locais é que o beneficiamento do produto não seja feito na região. O MPF recebeu representações sobre o tema e vai abrir procedimento para investigar a atividade. 

O secretário municipal de Educação, Eder Ferreira, afirmou que os recursos recebidos do governo federal para o financiamento do transporte e da alimentação dos alunos são insuficientes, e reivindicou uma política de financiamento regionalizada, que leve em conta as peculiaridades do arquipélago.
Todo o transporte de mercadorias e pessoas no Marajó é feito por barco, o que triplica os custos, pela ineficiência do modal, que historicamente é o mais barato e menos poluente. 

O prefeito de Melgaço, José Delcicley Pacheco Viegas, tem um mês de prazo para responder aos 17 pedidos de esclarecimentos do MPF e do MPE e duas recomendações para resolver os problemas do transporte escolar. Em 120 dias deverá cumprir 24 medidas relativas à merenda.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *