Barcos regionais a motor, veleiros, vigilengas, rabetas, bajaras, canoas ubás, igarités, catraias, botes fazem parte da memória afetiva, produtiva e econômica parauara, navegando pelo oceano Atlântico, baías, rios que mais parecem mares, lagos, igarapés, furos, estreitos, igapós e campos alagados…

Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Seis emissoras de rádio e TV na mira do MPF

Além da Rádio Clube do Pará -PRC5, a Rede Brasil Amazônia de Televisão(RBA), o Sistema Clube do Pará de Comunicação, a Carajás FM, a Belém Radiodifusão, todas de propriedade de Elcione Barbalho e Jader Barbalho, podem ter a concessão cancelada. A Beija-Flor Radiodifusão, do deputado Cabuçu Borges, que transmite na região sudeste do Pará, também está na mesmíssima situação.
A investigação sobre a propriedade de emissoras de rádio e TV por políticos foi iniciada pelo Ministério Público Federal em São Paulo, que fez um levantamento em todo o País. A partir disso, as ações se espalharam.
Já existem decisões judiciais em tribunais superiores retirando as concessões das mãos de parlamentares, seguindo o entendimento do Supremo Tribunal Federal, que se manifestou contrário ao controle de políticos sobre veículos de comunicação.

Conforme o artigo 54, inciso I, alínea “a”, da Constituição Federal, deputados e senadores não podem celebrar ou manter contratos com concessionárias de serviço público, o que inclui as emissoras de rádio e TV.
Já o inciso II, alínea “a”, do mesmo artigo, veda aos parlamentares serem proprietários, controladores ou diretores de empresas que recebam da União benefícios previstos em lei.
Tal regra também impede a participação de congressistas em prestadoras de radiodifusão, visto que tais concessionárias têm isenção fiscal e cabe ao Congresso Nacional apreciar os atos de concessão e renovação das licenças das emissoras, além de fiscalizar o serviço. 

O conflito de interesses é evidente. Há parlamentares que participaram de votações para aprovar outorgas e renovações de suas próprias empresas.
Assim, para o MPF, o cancelamento das concessões evita o tráfico de influência e protege os meios de comunicação da ingerência do poder político. 

Confiram as ações movidas pelo MPF:
Sistema Clube, RBA, Elcione Barbalho e Jader Barbalho: proc. nº 0026999-03.2016.4.01.3900 

Beija-Flor Radiodifusora e Cabuçu Borges: proc. nº 0027000-85.2016.4.01.3900
Carajás FM e Elcione Barbalho: proc. nº 0027001-70.2016.4.01.3900

Belém Radiodifusão e Jader Barbalho: proc. nº 27002-55.2016.4.01.3900

Rádio Clube PRC-5, Elcione Barbalho e Jader Barbalho: proc. nº 0027003-40.2016.4.01.3900

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *