Em iniciativa inédita, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro celebra os percursos individuais e coletivos que construíram as políticas de salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, lançando a obra “Em Defesa do Patrimônio Cultural”, organizado por…

Neste sábado, 16, postos de saúde ficarão abertos para a vacinação com foco em menores de 15 anos. Em Belém, 11 unidades vão funcionar das 8h às 14h. A campanha da Multivacinação iniciou no dia 04 de outubro e segue…

De autoria do carnavalesco e professor Paulo Anete, o enredo para o Carnaval 2022 da Escola de Samba Grêmio Recreativo Carnavalesco e Cultural Os Colibris, de Belém do Pará, é “Zélia Amada/ Zélia de Deus/ Zélia das Artes/ Herdeira de…

Batizada de sagui-de-Schneider (Mico schneideri), em homenagem ao pesquisador brasileiro Horácio Schneider (1948-2018), geneticista da Universidade Federal do Pará e pioneiro da filogenética molecular de primatas, a descoberta alvoroçou a comunidade científica internacional. A nova espécie de sagui amazônico do…

Resgate do navio Haidar


Depois de mais de dois anos do naufrágio do navio Haidar com cinco mil bois vivos e 800 mil litros de óleo no porto de Vila do Conde, em Barcarena, (PA), finalmente houve acordo nos processos judiciais movidos pelo Ministério Público Federal e Ministério Público do Estado do Pará a fim de resgatar a embarcação. 

Em audiência de conciliação presidida pelo juiz federal Arthur Pinheiro Chaves, da 9ª Vara, a CDP e a Minerva, dona dos bois, firmaram o compromisso de destinar, cada uma, R$ 1 milhão a um fundo a ser criado para financiar projetos ligados ao meio ambiente e que beneficiem as comunidades afetadas pelo acidente. A empresa e a Companhia Docas do Pará também aceitaram pagar R$ 7 milhões (R$ 3,5 milhões cada) às famílias atingidas.
Caberá ao Instituto Internacional de Educação do Brasil repassar metade desse valor para as famílias de Vila do Conde e 30% para as famílias de Beja, Itupanema e Ilha do Capim. 

Habitantes das comunidades do Caripi, Fazendinha, Trambioca, Boa Vista, São José, Caripejuba, Livramento, Abaetetuba, Ilha das Onças, Ilha dos Patos, Ilha Arapiranga, Ilha Sacaia, Ilha de Urubuoca, Praia do Cuipiranga (Trambioca), Comunidade do Araticu Rio Muruça, Ilha Nova, Ilha Longa, Associação dos Trabalhadores Extrativistas de Curuçá, Comunidade Boa Vista, São José do Arrozal, Santo Afonso do Rio Xingu, Araquissaua, Icaru e Comatituea deverão receber 20% do montante. 

A distribuição do valor corresponde proporcionalmente aos danos sofridos por cada comunidade.   Ainda serão discutidos outros pontos pendentes, em audiência marcada para 6 de fevereiro de 2018. O deputado Eraldo Pimenta, presidente da Comissão de Meio Ambiente da Alepa, destacou o fato, hoje, em plenário.

Cliquem aqui para ler a íntegra do acordo.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *