O IV Distrito Naval da Marinha do Brasil, em parceria com o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), Praticagem da Barra do Pará, Sociedade Amigos da Marinha Pará, Secretarias de Saúde de Barcarena e do Estado do Pará, Tribunal…

Guy Veloso, filho do saudoso jurista, notário e político Zeno Veloso, plantou em sua memória um pé de baobá na Universidade Federal do Pará, onde o ilustre parauara se destacou como professor de direito civil e direito constitucional, formando gerações…

Evellyn Vitória Souza Freitas nasceu no chão do banheiro do Hospital Municipal de Portel, município do arquipélago do Marajó (PA), no dia 28 de julho de 2021, por volta das 8h da manhã, prematura de 28 semanas e dois dias, pesando 1Kg e 39…

Vanete Oliveira, a jovem marajoara de 28 anos e mãe de cinco filhos que sofre há catorze anos com um tumor enorme em um dos olhos, que lhe cobre quase a metade da face, já está internada no Hospital Ophir…

R$34 milhões ao Sul do Pará

Foi instalado ontem o núcleo técnico que vai gerenciar a aplicação dos R$ 34 milhões do Fundo para o Desenvolvimento Regional com Recursos da Desestatização, criado com a privatização da Vale para financiar o desenvolvimento socioeconômico dos 14 municípios no entorno das jazidas lavradas pela mineradora: Abel Figueiredo, Água Azul do Norte, Bom Jesus do Tocantins, Brejo Grande do Araguaia, Canaã dos Carajás, Curionópolis, Eldorado do Carajás, Itupiranga, Marabá, Nova Ipixuna, Parauapebas, Rondon do Pará, São Domingos do Araguaia e São João do Araguaia. Permaneceu seis anos bloqueado no BNDES porque algumas várias prefeituras não prestaram contas dos recursos.
O bloqueio só foi revertido este ano, com a intervenção do governo do Pará, que teve que investir o mesmo valor engrupido pelas prefeituras, R$ 18 milhões, para, então, repetir a prestação de contas, agora obedecendo aos critérios de legalidade.
O governo também conseguiu ampliar as áreas em que o FRD pode ser aplicado. Antes limitado à educação, saúde e assistência social, agora abrange saneamento básico – inclusive drenagem e manejo de águas pluviais urbanas com pavimentação; abastecimento de água potável e esgotamento sanitário, limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos.
Os projetos ainda serão enviados ao BNDES. A previsão é de que a governadora assine o contrato com o banco ainda este mês, propiciando a abertura das licitações em janeiro. As obras serão decididas pelas prefeituras, mas a execução será feita diretamente pelo Estado, conforme acordado com o BNDES. O prazo para a aplicação do dinheiro é de 30 meses.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *