0

O impasse quanto aos resíduos sólidos na capital do Pará foi tratado durante o painel: “Rumo à COP-30 – Discussão com delegações da América Latina”, realizado hoje, 5, pela Associação Internacional de Resíduos Sólidos no Pavilhão de Resíduos e Recursos na Zona Azul na COP-28, nos Emirados Árabes. Além do prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, o debate reuniu o secretário nacional do Meio Ambiente Urbano e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente e Mudanças Climáticas, Adalberto Maluf, e a liderança internacional dos catadores de resíduos sólidos, Severino Lima, entre outros representantes. “Estamos consolidando alianças para resolver as urgências da limpeza urbana e do tratamento dos resíduos para encontrar soluções inovadoras e definitivas para este, que é um dos grandes dramas das metrópoles”, declarou o prefeito Edmilson Rodrigues. 

Ele enfatizou, que a Prefeitura de Belém alinha um esforço conjugado com as esferas federal e estadual, inclusive organizações sociais como o movimento dos catadores e grupos empresariais. “Esse conjunto vai fortalecer os novos serviços que serão implementados com a parceria público-privada que estamos em fase final de licitação. Estamos lutando em várias frentes para acabar com a crise vivida esses dias em Belém. Logo os transtornos vão passar e vamos ter serviços conectados com a modernidade do pensamento ambiental e humano para esse setor”, garantiu o prefeito.  

Os catadores reivindicam a inclusão da categoria de forma estratégica na gestão do problema. “O catador não está preocupado só com a coleta seletiva, ele está preocupado com o planeta, assim como o gestor. Quando a prefeitura tem seu papel na administração de gerar oportunidade para o trabalho dos catadores e o reconhecimento do trabalho dessa categoria, então tem tudo para dar certo”, pontuou Severino Lima.

A ideia de união de esforços é compartilhada pelo secretário nacional do Meio Ambiente Urbano e Qualidade Ambiental do MMA. “O que queremos é que a COP-30 deixe um legado para cidade de forma definitiva, que fique não apenas para a capital do Pará, mas que possa servir de exemplo para todas as cidades da região e até de outras regiões. Hoje, esse é o grande desafio: a gestão de resíduos nas regiões Norte e Nordeste”, asseverou Adalberto Maluf.

Takanakuy: a luta que cura feridas no Natal

Anterior

Revisão do Plano Diretor de Belém 

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *