O presidente da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Chicão, foi aclamado ontem por servidores e deputados após a sessão plenária, que se estendeu até as 15h, ao entregar os espaços reformados que já estão prontos para utilização. É que, em…

O delegado de polícia de Oriximiná, Edmílson Faro, prendeu o vigia Ailton Ferreira da Silva a pedido do presidente da Câmara Municipal, vereador Marcelo Andrade Sarubi (PSDB) e do vereador Márcio Canto (PTB) e, na presença de ambos e do…

Primeira do Brasil totalmente focada na educação para o trânsito, a biblioteca do Detran-PA foi criada em 1998 e começou direcionada ao público interno, funcionando no antigo prédio do órgão, ao lado da Ceasa. Em 1º de novembro de 1999,…

A Prefeitura de Belém vai revitalizar dezesseis imóveis do município que estão há anos em situação de abandono. Além do resgate do patrimônio histórico, artístico e cultural, a intenção é reduzir gastos com aluguéis de prédios que abrigam órgãos municipais.…

Queda de braço oriximinaense

Uma briga, digamos, caudalosa como o rio
Trombetas, está sendo administrada pelo candidato a presidente da Assembleia
Legislativa do Pará, deputado Márcio Miranda(DEM), na montagem de sua chapa
para a Mesa Diretora. É que o deputado Júnior Ferrari(PSD), atual presidente da
Alepa, e que na gestão de Manoel Pioneiro(PSDB) foi 1º Vice-Presidente da Casa,
postula de novo o mesmo cargo, que é pleiteado por ninguém menos que o deputado
Gabriel Guerreiro, líder do PV, seu adversário figadal no Oeste do Pará,
principalmente em Oriximiná, terra natal dos dois, onde venceu o prefeito Luiz Gonzaga Viana(PV),
contra Ângelo Ferrari, irmão de Júnior.
Para desgosto do governador Simão Jatene(PSDB),
que não conseguiu acalmá-lo, Guerreiro fez o maior escarcéu durante o jantar de
anteontem na casa do deputado Eliel Faustino(PR), acusando Ferrari de querer se
perpetuar no cargo. Mas a maioria do grupo governista defende Ferrari, que
abriu mão de alguns projetos políticos para atender Jatene e, agora, é justo
que seja contemplado com a vaga. Uma solução conciliadora que está sendo
defendida pelos bombeiros de plantão é
que Guerreiro indique ao governo obras e ações prioritárias para a região em
que atua, a título de compensação.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *