Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Programas de Proteção ao Deus-dará

Desde outubro de 2012, o Programa de Proteção aos Defensores de Direitos Humanos deixou de funcionar no Pará.
Agora o Provita (Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas de Morte) e o Ppcaam (Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte) estão a ponto de paralisar as atividades por tempo indeterminado. Os recursos que mantêm a estrutura de funcionamento do 
Provita são oriundos da União e do Estado do Pará. Contudo, desde 15 de maio de 2014 a União não celebra convênio com o Governo do Pará, que tem arcado sozinho com os custos. A situação se agravou a partir de 1º de dezembro do ano passado, quando o programa ficou sem qualquer cobertura convenial, o que põe em risco 26 pessoas que estão inseridas no projeto atualmente e precisam de proteção.
Quanto ao Ppcaam, também financiado somente pelo Governo do Estado desde agosto de 2014, o convênio só vigora até meados de fevereiro de 2015, ainda aguarda a liberação da última parcela e a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) não sinalizou a continuidade.
Há nove casos (crianças, adolescentes e familiares) em processo protetivo, além das ininterruptas e urgentes situações de possíveis inclusões. O caso é grave e precisa da intervenção urgente de todos os órgãos. Para falar sobre o problema, a Sociedade de defesa dos Direitos Humanos – SDDH-PA convidou a imprensa para entrevista coletiva ontem, em seu auditório.

O bispo do Xingu, Dom Erwin Krautler, é um dos que precisam de proteção e está sem. A caminhonete que usava, fornecida pelo Provita, está há anos sucateada, sem condições de uso. A Comissão Justiça e Paz da CNBB Norte II, em audiências com o ex-secretário de Segurança, delegado Luiz Fernandes, expôs várias vezes a situação de risco, que atrapalha inclusive o trabalho de evangelização, mas até hoje o veículo continua sem conserto. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *