Os dirigentes do Sindicato e da Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa festejaram o resultado da reunião de hoje com o presidente da Alepa, deputado Chicão, que também convidou para o encontro o Chefe de Gabinete da Presidência, Reginaldo Marques…

A Administração Superior do Ministério Público do Pará está empenhada em fortalecer a atuação dos promotores de justiça no arquipélago do Marajó, onde a situação de extrema pobreza, agravada pela pandemia, perpetua crimes gravíssimos como os abusos e exploração sexual…

“A Prefeitura de Belém, por meio da Comissão de Defesa Civil de Belém, informa que realizou vistoria técnica no bloco B do imóvel localizado na avenida Presidente Vargas, 762, no dia 11 de fevereiro, às 9h, em conjunto com representantes…

DEM e PSL ainda nem consumaram a fusão, prevista para outubro deste ano, mas a briga já é de foice. O ex-presidente do Senado Davi Alcolumbre e o ex-prefeito de Salvador ACM Neto duelam nos bastidores pelo comando do novo…

Prefeito de Oriximiná denuncia retaliação por perda de benesses

Por dez votos a quatro, a Câmara Municipal de Oriximiná(PA) aceitou denúncia do ex-vereador Zequinha Calderaro, que pede a cassação do mandato do prefeito William Fonseca (PRTB) por crimes de responsabilidade e prática de infração político-administrativa. Os membros da comissão processante são os vereadores Marta Godinho (presidente), Mauro Wanzeler (relator) e Deybson Rasch.

Em nota enviada ao Portal Uruá-Tapera, o prefeito de Oriximiná “lamenta a tentativa de vereadores da Câmara de Oriximiná – que não se conformam com a derrota de seus candidatos a prefeito na última eleição, nem com o fato de o atual prefeito, Delegado Fonseca, ter cortado benesses historicamente concedidas aos edis indevidamente – e pontua não haver absolutamente nada que desabone sua gestão frente à Prefeitura de Oriximiná. O prefeito de Oriximiná reitera seu compromisso com a população, alicerçado no trabalho, na geração de emprego e renda e na transformação da realidade de nosso município. Agradece o apoio do povo, pelo qual lutará sempre, com disposição e destemor.”

Quem acompanha a história de Oriximiná, município minerador que há mais de quarenta anos sedia a Mineração Rio do Norte, sabe que as denúncias contra o prefeito fazem parte da reação à perda de poder político de grupos que há décadas dominavam o município, cuja arrecadação é altíssima mas em quarenta e dois anos continuou sem obras estruturantes e sem qualquer transparência na administração pública. A cidade cresceu sem planejamento, a economia ruiu, os ribeirinhos e pequenos produtores rurais foram mantidos em condições precárias. O atual prefeito é delegado de polícia de carreira, fez excelente trabalho na área de segurança pública, teve a coragem de se insurgir contra influências políticas na atividade policial e foi eleito como resposta do povo, que almejava mudança e rompimento com os antigos “manda-chuva”. É “pé no chão”, do tipo que não fica em gabinete, anda de sandálias havaianas e sempre de camiseta branca com a sua logomarca, pega literalmente na enxada e dá o exemplo aos servidores municipais.

Fonseca assumiu o cargo em meio à mais terrível situação que Oriximiná já vivenciara em séculos: a segunda onda do coronavírus, com o caos na vizinha Manaus onde se amontoavam corpos, o hospital local totalmente sem recursos e milhares de pessoas com teste positivo, sem leito, sem equipamentos, medicamentos e nem insumos básicos. Curiosamente, as medidas emergenciais que tomou para salvar vidas inclusive nos municípios vizinhos – aluguel de aeronave para transportar os doentes graves a hospitais regionais (cujo valor global não teve nem 20% gasto, por não ter sido necessária a utilização) e aquisição de usina de oxigênio – são os objetos das denúncias de seus adversários políticos, evidentemente vazias.

Os antagonistas acusam o prefeito de dar solução rápida a todas as emergências e mudar radicalmente o perfil municipal, o que lhe rende avassaladores 88% de aprovação popular. Sua filosofia política é simples e ele a repete nas redes sociais, que sabe manejar muito bem em “lives” diárias nas quais mantém a população informada de todos os seus passos: “o homem público deve se doar pela população. Cargo público não é para ficar rico, cargo público não é para locupletar-se. Muito pelo contrário, cargo público é para servir! Quantos homens se perderam pelo caminho… Deus fortaleça os nossos propósitos para que possamos permanecer assim: com o olhar fixo na meta, que é transformar a nossa cidade em um modelo para a nossa região. Sonhem comigo meus amigos, sonhem alto!”

Para se ter uma ideia, em seis meses de gestão, o prefeito Delegado Fonseca comprou, instalou e pôs em funcionamento a usina de oxigênio Cassiana Madeira, construiu o sistema de canalização do gás medicinal do Hospital Municipal de Oriximiná, reabriu a UPA – que estava parada desde 2009 -, passando de 8 para 45 leitos de combate à Covid; consertou o aparelho de raio X; criou o auxílio Tamojunto Orixi, beneficiando 2.800 pessoas com duas parcelas de R$ 250 (inviabilizado pelos vereadores de oposição); construiu e inaugurou a Ponte do Tabocal; instituiu estágio remunerado para a juventude (oferta de 100 vagas); reformou a escola Ângelo Augusto; construiu o shopping popular; o complexo esportivo Vicente Filizola;  retirou os catadores de material reciclável do lixão da cidade e capacitou a todos (agentes de transformação social); reformou o prédio onde funcionava o centro digital (atual instalação da Semdurb); destinou o antigo prédio da prefeitura para a secretaria de Cultura, a fim de que lá funcione em breve o primeiro museu municipal; entregou nova casa de apoio de Belém (bem localizada e mais confortável); instituiu a coleta diária do lixo doméstico (antes era só duas vezes na semana); paga 40% a título de insalubridade a profissionais da saúde atuando na linha de frente no combate à Covid; reformou e revitalizou 34 geradores de energia das comunidades rurais; socorreu municípios vizinhos com envio de oxigênio; enviou para a Câmara Municipal projeto que cria o fundo municipal de desenvolvimento sustentável, para ajudar os empreendedores e a agricultura familiar, utilizando 5% da Cefem (vetado pelos vereadores de oposição); construiu a ponte do Ananinzal; criou a Feira do Peixe Vivo; encaminhou à Câmara projetos de lei que criam a Ouvidoria e a Controladoria do município e a escola de governo.

Ao invés de contratar empreiteiras, como todos os seus antecessores, o prefeito Delegado Fonseca comprou uma usina de asfalto com capacidade de 40 toneladas/hora, vibroacabadora, rolo compactador, cinco caçambas novas, trucadas e tracionadas, além de patrulha mecanizada, qualificou e treinou os próprios servidores da Prefeitura, que executam o serviço, supervisionado por engenheiros, arquitetos, advogados e demais técnicos do quadro de pessoal municipal, com o que está asfaltando e executando drenagem das ruas e manutenção de ramais e estradas vicinais, calçadas, sarjetas e meio-fio a custo reduzido, aplicando a economia em mais obras e serviços e mantendo os empregos.

Reconhecido pela CGU (Controladoria-Geral da União) como o município mais transparente do Pará, Oriximiná também ganhou nestes sete meses da nova gestão sua primeira Feira do Artesanato, a Praça de Alimentação Dona Santinha; nova Casa de Apoio em Santarém; o abrigo Bom Samaritano, para pessoas em situação de vulnerabilidade; a ponte do Bibi Judeu; quadra de tênis; quadra poliesportiva, reforma e climatização da Escola Municipal Pedro Carlos de Oliveira, no ramal do Carapanã, e as pontes do ramal do Uirapuru e no Km 15 do Copaíba.

O prefeito Delegado Fonseca demoliu os antigos mercados de peixe e de carne e o galpão que servia de feira, todos condenados pela defesa civil; removeu as baiucas imundas da área conhecida como “curral das búfalas” que ficavam bem na frente da cidade, e está revitalizando toda a orla, com passeio público e estacionamento, para proporcionar lazer gratuito e incentivar a prática de esportes, além do ordenamento do espaço urbano.

Também são ações de Fonseca o auxílio às vítimas das cheias (madeira para maromba, kit Covid, cestas básicas); convênio com a Associação dos Músicos para ajudá-los em razão da pandemia (patrocínio de cinco lives); convênio com a Associação dos Ciclistas para realização de cinco eventos; microssistema de abastecimento de água do São Lázaro; Feira do Planalto e envio de projeto de lei para a compra de um terreno destinado a novo cemitério (pendente de votação).

Além disso o prefeito adquiriu cem conchas de cinco metros cúbicos cada e um caminhão poliguindaste, equipamentos que vão auxiliar a equipe da limpeza urbana e serão incorporados no patrimônio do município. Hoje a cidade está dividida em zonas, nas quais os entulhos, galhadas e capinas são jogados nas ruas, sendo recolhidos em datas predefinidas, prática estabelecida há décadas. Essa forma de agir acaba danificando as calçadas, sarjetas e o próprio asfalto das vias, gerando despesas desnecessárias aos cofres do município. As conchas já são utilizadas em várias cidades e são muito eficientes e econômicas.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Participe da discussão

1 comentário

  1. Vamos pra cima prefeito, Deus ouviu nossas orações trazendo para Oriximina um homem de garra ,de coragem , não ladrão, não desonesto, vamos Deus é contigo , estamos orando por vc prefeito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *