A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

O governador Helder Barbalho está soltando a conta-gotas os nomes dos escolhidos para compor o primeiro escalão de seu segundo governo. Nesta quarta-feira será a posse dos deputados estaduais e federais e dos senadores, e a eleição para a Mesa…

Pela primeira vez na história, está em curso  um movimento conjunto da Academia Paraense de Letras, Academia Paraense de Jornalismo, Instituto Histórico e Geográfico do Pará e Academia Paraense de Letras Jurídicas, exposto em ofício ao governador Helder Barbalho, propondo…

Perversidade no Basa

Nesta segunda-feira, 28, quatro auditores da PREVIC (órgão do governo que fiscaliza o setor de Fundos de Pensão) vão bater no portão da CAPAF, logo às 8h. A entidade comunicou  dia 22  que não tinha dinheiro para pagar os aposentados e pensionistas. AEBA e AABA impetraram Mandado de Segurança para garantia dos pagamentos pelo patrocinador, que é o Banco da Amazônia. O clima é pesado nos bastidores da Associação dos Aposentados. Vários pensionistas passaram mal no dia do não-pagamento (23/03) e foram atendidos num posto de emergência montado no local pela CASF, o plano de saúde do pessoal do Basa. 

Se a CAPAF deixar de pagar os aposentados por dois meses seguidos, a CASF irá falir: as contribuições da grande maioria de seus associados aposentados são descontadas na Folha de Benefícios da entidade. A Coramazon (corretora de seguros do pessoal do Basa) também tombará. É o efeito dominó. 

Os auditores da PREVIC poderão intervir, destituindo diretoria executiva e conselhos, ou efetuar mais uma  das muitas auditorias realizadas e que nada resolveram. O drama já se arrasta há mais de 8 anos .  

Apesar da crise nas entidades vinculadas ao Basa, seus diretores recebem polpuda remuneração. Na Capaf, o presidente ganha R$12 mil e os diretores R$11 mil; na CASF, são R$13 mil para o presidente e R$12 mil para os diretores; e na Coramazon, o presidente recebe R$15 mil e seus diretores R$13 mil.

Detalhe: o valor do benefício  médio dos aposentados e pensionistas que estão a pão e água é de R$2 mil reais.  

O lado mais perverso dessa crise, provocada por histórica má gestão do Fundo de Pensão pelo seu patrocinador e prepostos, é que os aposentados não receberam seus proventos mas estão sendo cobrados pela CASF e Coramazon, que os ameaçam de desligamento do plano de saúde e da perda do seguro e vida, caso deixem de pagar suas contribuições.
Será que o MPT e a Justiça do Trabalho nada farão  em defesa de pessoas idosas e fragilizadas, vítimas desse verdadeiro massacre pelo Basa-Deloitte e Capaf?

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *