Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Patrono Brasileiro dos Direitos Humanos

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara Federal aprovou parecer favorável ao projeto de lei Nº 7.230/14, do deputado Arnaldo Jordy (PPS/PA), que declara Dom Helder Câmara “Patrono Brasileiro dos Direitos Humanos”. Figura emblemática, Dom Helder foi o único brasileiro a ser indicado quatro vezes para o Prêmio Nobel da Paz e deu grande contribuição na resistência ao regime ditatorial e para a redemocratização do País. “Dom Helder era mais que uma liderança religiosa, era referência na luta pela paz e pela justiça social”, frisa Jordy.
A matéria tem tramitação conclusiva e, caso não haja recurso para ir a Plenário, segue para apreciação pelo Senado. 

Dom Helder nasceu em Fortaleza(CE), em 7 de fevereiro de 1909, e morreu no Recife, em 27 de agosto de 1999. Arcebispo emérito de Olinda e Recife e um dos fundadores da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, é um ícone na luta contra o autoritarismo e em favor dos direitos humanos. Não hesitou em utilizar todos os meios de comunicação para denunciar as injustiças e pregava tanto no Brasil quanto no Exterior uma fé cristã comprometida com os anseios dos mais carentes.
Em 1969, recebeu o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Saint Louis, nos Estados Unidos. Este mesmo título foi-lhe conferido por diversas outras universidades brasileiras e da Bélgica, Suíça, Alemanha, Países Baixos, Itália, Canadá e EUA, além de Cidadão Honorário de 28 cidades brasileiras, de São Nicolau na Suíça e Rocamadour, na França. Recebeu, ainda, o Prêmio Martin Luther King, nos EUA, e o Prêmio Popular da Paz, na Noruega.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *