A 27ª Unidade de Conservação do Estado do Pará abrange os municípios de Jacareacanga e Novo Progresso, no sudoeste paraense. O Decreto nº 1.944/2021 foi assinado pelo governador Helder Barbalho na quinta-feira, 21, e publicado ontem (22) no Diário Oficial…

O Atlas da Dívida dos Estados Brasileiros, lançado no Fórum Internacional Tributário pela Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital, aponta que a dívida ativa das empresas com os entes federados soma estratosféricos R$ 896,2 bilhões, significando 13,18% do PIB…

Ao abrir oficialmente o Forma Alepa/Elepa, o presidente da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Chicão, destacou a importância do trabalho que vem sendo executado pela Escola do Legislativo, treinando, qualificando e atualizando gestores, vereadores e servidores públicos, que dessa forma…

Em Itupiranga, força-tarefa do Ministério Público do Trabalho no Pará e Amapá, Auditoria Fiscal do Trabalho, Defensoria Pública da União e Polícia Federal resgatou sete trabalhadores em condições análogas às de escravos, em duas fazendas no sudeste paraense, e prendeu…

Pará quer atrair US$100 milhões em polo têxtil



A Jari Celulose vai instalar um polo industrial têxtil em Almeirim, aproveitando a sua produção de celulose solúvel, que é a matéria prima mais barata para o ramo. Protocolo de intenções nesse sentido foi assinado pelo presidente da empresa, Sérgio Amoroso, e o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Adnan Demachki, que articulou o investimento da ordem de US$100 milhões. 


A ideia é que em seis meses a Jari Florestal viabilize a viscose, produzida a partir da celulose solúvel, de modo a atrair indústrias que a transformem em fios e em roupas. O algodão é um insumo mais caro que a viscose produzida a partir da celulose e o Pará já produz através da Jari algo em torno de 270 mil toneladas. Melhor do que exportar essa celulose ‘in natura’, é agregar valor a ela, verticalizando a produção. 

A China é a locomotiva da demanda global por celulose solúvel, especialmente nas aplicações de viscose e de acetatos. 

Participaram da assinatura do documento o secretário de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, Hildegardo Nunes, e o presidente do Instituto de Terras do Pará (Iterpa), Daniel Lopes, também parceiros no projeto, além do secretário de Estado de Turismo, Adenauer Góes, entre outros representantes do governo e da Jari.

O executivo da Jari esteve na Assembleia Legislativa, onde reuniu com os deputados Júnior Hage, Sidney Rosa(presidente e vice-presidente, respectivamente, da Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária), Raimundo Santos, presidente da Comissão de Constituição e Justiça, e Fernando Coimbra, 1º vice-presidente da Casa, além do procurador geral de Justiça, Marcos Antonio Ferreira das Neves, para falar do reposicionamento da empresa.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *