Nesta terça-feira (29) a presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Pará, desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento, inaugura a sala da Ouvidoria da Mulher, espaço para sugestões, reclamações e denúncias relativas à violência contra à mulher, direitos políticos e à igualdade…

A praça do Mascate, na esquina da Av. Visconde de Souza Franco (Doca) com a Trav. Antônio Barreto, no bairro do Reduto, está sendo transformada em Praça Pet, espaço de lazer para os moradores e animais de estimação. O local…

Foi aberto ontem (25) um novo retorno para veículos no Km 08 da BR-316, perto de uma loja de peças de motos no sentido entrada de Belém, e em frente à Escola Raimundo Vera Cruz, no sentido de saída da…

A construção do muro de arrimo e urbanização da orla da Avenida Beira-Mar, em Salinópolis, avança ao longo de 1.200 metros de extensão. Gerenciadas pelo Governo do Pará, via Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas, já foram executadas as…

Pará quer atrair US$100 milhões em polo têxtil



A Jari Celulose vai instalar um polo industrial têxtil em Almeirim, aproveitando a sua produção de celulose solúvel, que é a matéria prima mais barata para o ramo. Protocolo de intenções nesse sentido foi assinado pelo presidente da empresa, Sérgio Amoroso, e o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Adnan Demachki, que articulou o investimento da ordem de US$100 milhões. 


A ideia é que em seis meses a Jari Florestal viabilize a viscose, produzida a partir da celulose solúvel, de modo a atrair indústrias que a transformem em fios e em roupas. O algodão é um insumo mais caro que a viscose produzida a partir da celulose e o Pará já produz através da Jari algo em torno de 270 mil toneladas. Melhor do que exportar essa celulose ‘in natura’, é agregar valor a ela, verticalizando a produção. 

A China é a locomotiva da demanda global por celulose solúvel, especialmente nas aplicações de viscose e de acetatos. 

Participaram da assinatura do documento o secretário de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, Hildegardo Nunes, e o presidente do Instituto de Terras do Pará (Iterpa), Daniel Lopes, também parceiros no projeto, além do secretário de Estado de Turismo, Adenauer Góes, entre outros representantes do governo e da Jari.

O executivo da Jari esteve na Assembleia Legislativa, onde reuniu com os deputados Júnior Hage, Sidney Rosa(presidente e vice-presidente, respectivamente, da Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária), Raimundo Santos, presidente da Comissão de Constituição e Justiça, e Fernando Coimbra, 1º vice-presidente da Casa, além do procurador geral de Justiça, Marcos Antonio Ferreira das Neves, para falar do reposicionamento da empresa.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *