O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

PAC empacou em Belém

O abandono de
centenas de famílias desalojadas e à espera de remanejamento por causa da paralisação
das obras de infraestrutura e habitação do PAC em Belém, desde 2010, será
denunciado à OEA, além de ao MPE e ao MPF, para que ajuízem ações cobrando
indenização por dano moral coletivo. E amanhã, às 13h, uma comissão de
deputados e de representantes das comunidades vai ao secretário especial de Estado
 de Infraestrutura e Logística de Desenvolvimento Sustentável, Vilmos
Grunvald. Essas foram as deliberações da sessão especial de ontem, na Alepa, iniciativa
do deputado Edmilson Rodrigues (PSOL). 
As sete obras somam
quase R$ 316 milhões, a maior parte recursos federais que serão devolvidos à
União, caso os problemas de execução não sejam resolvidos pelo Estado e pela
Prefeitura, segundo o superintendente em exercício da Caixa Econômica Federal,
João Hugo Barral. Ele disse que, ao todo, está contratada a construção de 2.385
unidades habitacionais pelo PAC em Belém.
As pontes e as casas
de madeira estão literalmente caindo sob os pés e nas cabeças das famílias. Há muitos
idosos em situação delicada. O baixo valor do auxílio-moradia pago às famílias
que já foram retiradas de suas casas é insuficiente para pagar o aluguel,
muitas famílias estão passando necessidades, separadas ou vivendo de favor na
casa de parentes. 
No ano passado, em sessão especial para
debater o problema e reunião com o governo do Estado, foi anunciado um
cronograma de retomada das obras, que não foi cumprido. Com a chegada das
chuvas, ocorrerão os alagamentos e aumento de riscos e doenças
“,
destacou Edmilson. A própria Cohab aponta que as obras do PAC estão na estaca zero no Riacho Doce I e na
segunda etapa da Vila da Barca, amargam 1,34% no Pantanal, 45% no Riacho Doce
III, e 41% no Taboquinha, entre outras.
Também participaram da
sessão o secretário municipal de Habitação, Osvaldo Gonzaga, centenas de
integrantes do Fórum de Entidades e Moradores das Áreas do PAC-Belém (Fema-PAC),
os deputados Márcio Miranda (DEM), Hilton Aguiar (PSC) e Edilson Moura (PT) e a
vereadora eleita Marinor Brito (PSOL).

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *