Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Aprovado à unanimidade pela Assembleia Legislativa, o projeto de lei nº 245/2021, de autoria do Poder Executivo, dispondo sobre a denominação do Arquivo Público do Estado do Pará, em homenagem ao jurista e professor paraense Zeno Augusto de Bastos Veloso,…

Ontem duas famílias viveram momentos de terror, vítimas de assalto à mão armada por volta das 13 horas, durante passeio no Parque do Utinga, um dos lugares mais lindos de Belém e importante equipamento turístico parauara. Trata-se do oitavo roubo…

Operação Full House envolve deputado do TO

A Polícia Federal abalou, logo cedo, hoje, a cidade de Araguatins(TO). A Operação Full House apura fraudes em licitações e desvios de recursos públicos federais na contratação de 11 obras, no montante de mais de R$4 milhões.
No esquema, durante a gestão do ex-prefeito (hoje deputado estadual Rocha Miranda(PMDB) e na de seu sucessor e atual prefeito, 
eram utilizadas empresas de pessoas ligadas por relações de parentesco ou amizade Uma das empresas tem como responsável o genro do deputado. A outra empresa tem como responsável o ex-secretário municipal de Administração, atualmente assessor parlamentar de Rocha Miranda. A terceira empresa foi criada especialmente para as fraudes. Entre as 11 obras, algumas foram concluídas, mas a maioria está inacabada, a exemplo de 3 creches do programa Proinfância, um posto de saúde e a casa da cultura de Araguatins. 

Foram cumpridos 24 mandados judiciais, nos municípios de Araguaína, Araguatins, São Bento do Tocantins, Palmas e também em Imperatriz (MA), sendo 14 de busca e apreensão e 10 de condução coercitiva. 

A declaração do deputado Rocha Miranda, em sua defesa, é surpreendente: “Nego 200% essas acusações, mas não vou comentar nada enquanto eu não tiver certeza. Porque esse “disse me disse” que teve desvio, o papel vai provar o contrário. Essas coisas são muito relativas. É igual o que o PT diz, tudo o que eu fiz foi dentro da legalidade.

Cai o pano.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *