A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

O governador Helder Barbalho está soltando a conta-gotas os nomes dos escolhidos para compor o primeiro escalão de seu segundo governo. Nesta quarta-feira será a posse dos deputados estaduais e federais e dos senadores, e a eleição para a Mesa…

Pela primeira vez na história, está em curso  um movimento conjunto da Academia Paraense de Letras, Academia Paraense de Jornalismo, Instituto Histórico e Geográfico do Pará e Academia Paraense de Letras Jurídicas, exposto em ofício ao governador Helder Barbalho, propondo…

Operação “Companheiro” em Curuçá

FOTO: ASCOM DA POLÍCIA CIVIL
Hoje a polícia civil desembarcou cedo em Curuçá. Era a operação “Companheiro”, coordenada pelo delegado Carlos Eduardo Vieira, titular da DRDP/DRCO (Delegacia de Repressão a Defraudações Públicas, unidade policial vinculada à Divisão de Repressão ao Crime Organizado)

Na sede da empresa Campasa foram encontrados diversos documentos da Prefeitura relativos ao exercício de 2008 a 2012, do então prefeito Fernando Cruz. Pelo menos 66 caixas com documentos, que são objetos de alguns crimes e elementos de prova de outros, foram apreendidas. Além de substração de documentos, as investigações apuram desvios de recursos públicos, denunciados no relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) em que várias transferências bancárias suspeitas foram relatadas. 

O esquema era engendrado por meio de transações financeiras entre contas da Prefeitura e de algumas empresas que supostamente prestavam serviços ao município. A movimentação suspeita era em duas frentes. Uma delas utilizava a empresa de beneficiamento de pescado Campasa e a outra usava a Associação Agropesqueira do município de Curuçá, conforme declarações do delegado Vieira. As investigações continuam.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *