0

Na primeira sessão ordinária de 2023 do Conselho Seccional, nesta quinta-feira, 9, o presidente da OAB-PA, Eduardo Imbiriba de Castro,  comunicou o lançamento do Edital para preenchimento da vaga de Desembargador do Tribunal de Justiça do Pará, pelo Quinto Constitucional, logo após o carnaval. A sessão foi prestigiada pelo Desembargador Luiz Neto e pelo Desembargador Milton Nobre, cuja aposentadoria abriu a vaga no TJPA, e que é ex-presidente e conselheiro honorário vitalício da OAB-PA.

A paraense Suena Mourão, primeira advogada preta parauara eleita para o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, assumiu a Presidência da Comissão Nacional da Igualdade Étnico-Racial. No próximo 21 de março, dia para a Eliminação da Discriminação Racial, o Conselho Federal da OAB ratifica a importância da luta mundial contra o racismo, celebra as conquistas alcançadas no decorrer da história em relação ao tema e destaca sua permanente vigilância na defesa da igualdade racial, reafirmando o compromisso da instituição em prol dos princípios constitucionais que vedam a discriminação por raça, cor, orientação sexual, origem étnica, religião, opinião política ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra categoria. A data remete ao “massacre de Sharpeville”, ocorrido em Joanesburgo, na África do Sul, em 21 de março de 1960, durante o regime do apartheid.  E reaviva os ideais de homens, mulheres e crianças que morreram enquanto lutavam por uma sociedade igualitária.

Durante a reunião do Conselho foi aprovada a criação da Comissão de Coaching Jurídico, que teve como relatora Lucilene Lemos, bem como o Regimento Interno da Comissão de Prevenção à Lavagem de Dinheiro, Crimes Tributários e Improbidade Administrativa, com relatoria de João Batista. Houve, ainda, a posse da advogada Amanda Sá Amaral como nova conselheira seccional.

A OAB Pará determinou o afastamento do advogado Bruno Benchimol de suas atividades, enquanto perdurar a apuração da agressão física denunciada por sua ex-companheira e mãe de sua filha. Conforme os resultados das investigações e de eventuais ações das autoridades competentes, a Seccional adotará as medidas cabíveis, nos termos do Estatuto da Advocacia e Código de Ética.

Em nota oficial assinada pelo presidente Eduardo Imbiriba de Castro, pelas presidente e vice-presidente da Comissão das Mulheres e Advogadas, Gabrielle Martins Silva Maués e Thaís de Souza Moura, a  OAB-PA destaca que, “conforme orienta o Provimento 164/2015, assumiu o compromisso de combater as construções histórico-sociais que embasam e naturalizam a violência contra a mulher. E que, enquanto representante da sociedade civil e defensora dos direitos humanos, da justiça social e da democracia, entre os quais inseridos os direitos das mulheres, conforme reconhecido pelo Sistema Global de Proteção aos Direitos Humanos, está atenta aos elevados índices de violência doméstica e familiar contra a mulher e atua de forma a realizar um enfrentamento comprometido desta violência, sendo intolerante com quaisquer práticas desta natureza”.

Belém inicia debate sobre desenvolvimento urbano

Anterior

Ribeirinhos ganham cobertura do eixo do motor para evitar escalpelamento

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *