0

Prefeitos, prefeitas, equipes técnicas de planejamento e desenvolvimento urbano da Região Metropolitana e de outros municípios paraenses reuniram nesta sexta-feira, 10, a convite do prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, para debater e compartilhar boas práticas e desafios específicos de ordenamento territorial no contexto amazônico. O objetivo é elaborar projetos de cooperação para o desenvolvimento urbano sustentável da Amazônia Legal, tendo em vista a COP-30, em 2025.

Edmilson Rodrigues destacou que a proposta do primeiro Seminário Planos Diretores Municipais em Cidades Amazônicas é “pensar o desenvolvimento urbano no sentido mais amplo, social e estrutural, porque é assim que se pensa sustentabilidade para que não seja uma farsa, um discurso vazio”. Ele ressaltou, ainda, que “às vésperas de receber o mundo para debater as mudanças climáticas em Belém, com a COP-30, em 2025, somos mais ainda obrigados a debater um plano diretor com política voltada para enfrentar a questão climática e as metrópoles têm muito a contribuir”.

O seminário é promovido pela Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão (Segep), e pelos projetos “Apoio à Agenda Nacional de Desenvolvimento Urbano Sustentável (Andus)” e “Desenvolvimento Sustentável (DUS)”, ambos da cooperação entre o Ministério das Cidades (MCid) e a Agência Alemã de Cooperação (GIZ). Também são parceiros e participam do evento o Governo do Pará, a Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Rede Brasileira de Institutos de Planejamento (InREDE) e o WRI Brasil, um Instituto global de pesquisa em sustentabilidade urbana e que atua em mais de 50 países.

Compuseram a mesa oficial, na abertura do evento, a prefeita de Abaetetuba e representante da Frente Nacional de Prefeitos, Francineti Carvalho; a prefeita de Benevides, Luziane Solon; o prefeito Edmilson Rodrigues; o gerente de desenvolvimento urbano da WRI Brasil, Henrique Evers; o presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará, Lutfala Bittar, o secretário municipal de Planejamento e Gestão, Cláudio Puty; e a diretora do Programa Transformação da agência de cooperação alemã, Sara Habersack.

Ao longo da manhã, o público acompanhou a palestra ministrada pelo vice-prefeito de Fortaleza, Élcio Batista, acerca de “O papel do Instituto de Planejamento no planejamento do desenvolvimento de longo prazo integrado ao planejamento territorial: o caso Plano Fortaleza 2040”.

Houve ainda o debate “Desenvolvimento Urbano Sustentável no contexto amazônico e o Ordenamento Territorial de Municípios Amazônicos”, com a participação de representantes do Governo do Pará; professor da Universidade Federal do Pará, José Júlio e técnico da GIZ, Thomaz Ramalho.

O primeiro dia do seminário iniciou na quinta-feira, 9, com uma visita técnica ao Programa de Saneamento da Bacia da Estrada Nova (Promaben), no bairro da Condor. Os participantes de oito municípios da Região Metropolitana e convidados de outras cidades paraenses foram recebidos no auditório da Unidade Coordenadora do Promaben, onde receberam informações sobre o programa, um dos maiores em saneamento e urbanização no país.

Mercado Autoral Amazônico neste sábado

Anterior

OAB-PA vai lançar edital para o TJPA e afasta advogado agressor

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *