Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou…

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra…

Em 17 de dezembro de 1999, a Assembleia Geral das Nações Unidas designou o 25 de novembro Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher. Passados 22 anos, os dados do 14° Anuário Brasileiro de Segurança Pública são aterrorizantes: por…

O povo vence de novo Morgado

Hoje,
na Câmara Municipal de Belém, quando viu o povo ocupando a galeria e que no
plenário a maioria dos 24 vereadores presentes iria rejeitar seu famigerado
projeto, o quase ex-vereador Gervásio Morgado (PR) tratou de pedir a retirada
de pauta por 72 horas. Mas a mobilização deve permanecer, porque na semana que
vem – as sessões são às terças e quartas – ele vai tentar outra vez.
Logo
no início da sessão, Morgado de novo deu
piti
e – acreditem -reclamou que a Comissão Técnica formada por representantes
da sociedade civil estava ocupando espaço
do plenário e que falava mal dos vereadores
(!). E também tornou a
desrespeitar o promotor de justiça Raimundo Moraes, que, segundo ele, vive mandando recomendações à Câmara, o que considera
inadequado
(!). Chegou a sugerir ao promotor que se licencie e concorra a
uma vaga de vereador.
Mais
uma vez Morgado deixou claro que não quer sofrer controle social, muito menos do
MP. Postura lamentável e vergonhosa, para dizer o mínimo, uma vez que fiscalizar
os políticos é um direito da sociedade. Mas ele, pelo que demonstra, não
entende muito dessas coisas. Ou, pelo menos, não dá a menor importância. No dia
das eleições, levará o troco do povo.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *