Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

O País de MC Diguinho

A crise ética que assola o Brasil é evidenciada pelo funk “Ó surubinha de leve”, de MC Diguinho, que estava em primeiro lugar na “Brazil Viral 50”, com as músicas com maior crescimento de audições, e em 27º no Top 50 Brazil, o principal ranking brasileiro, e foi excluída das paradas do Spotify por fazer apologia ao estupro, em seus versos de construção miserável – em todos os sentidos! – como “Taca bebida, depois taca pica e abandona na rua”. O principal vídeo no YouTube dessa coisa que insistem em chamar de música, com 14 milhões de visualizações só de dezembro para cá, também foi tirado do ar. 

Enquanto isso, quem estuda, pesquisa e compõe música de qualidade não consegue sequer gravar, menos ainda a atenção da população, alienada, anestesiada, apática, e que não assume as responsabilidades pela calamidade vivenciada na escalada da violência. Que País é este?!

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *