Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Nota oficial do Sinjor-PA

“O Sindicato dos Jornalistas no Estado do Pará (Sinjor-PA) vem a público protestar contra o caos instalado na área de Segurança Pública no Pará e exigir do Governo do Estado medidas que ponham fim à guerra entre policiais e criminosos, que está colocando em risco a vida de pessoas inocentes. Por isso, o Sinjor-PA enviará ofício à Secretaria de Estado de Segurança Pública solicitando informações oficiais sobre o que está acontecendo, em especial, na cidade de Belém, considerando a madrugada de pânico vivida pela população. 

Quanto aos profissionais de jornalismo, que ficam mais expostos à violência nesse tipo cobertura, o Sinjor-PA exige que os veículos de comunicação providenciem equipamentos de segurança como coletes à prova de bala para todos os profissionais da equipe de reportagem. Aliás, o Sindicato vem cobrando isso há bastante tempo das empresas jornalísticas. Caso não providenciem os equipamentos de segurança e coloquem em risco a vida dos jornalistas, o Sindicato tomará medidas judiciais contra as empresas. 

Além disso, uma equipe de diretores fará visita às redações para saber se os equipamentos estão sendo providenciados para os jornalistas. Pois a busca pela informação não deve se sobrepor a vida do profissional de jornalismo. 

O Sinjor-PA orienta, ainda, que em momentos de pânico como o que ocorreu durante a madrugada, é dever do jornalista apurar os fatos e não reforçar a comoção, angústia e medo coletivo, disseminando vídeos, fotos e informações sem credibilidade ou sem fontes oficiais. Fazer isso apenas colabora com o clima de insegurança, caracterizando irresponsabilidade e falta de ética. 

Por fim, o Sinjor-PA avisa que estará vigilante na cobertura jornalística não só na editoria de polícia, mas em todas as editorias, pois sabe que os fatos também serão explorados no âmbito da política.”

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *