A sesquicentenária samaumeira que perdeu seus galhos na madrugada desta segunda-feira (6) é memória afetiva de todos os paraenses e até de gente de fora do Pará e do Brasil que frequenta Belém durante o Círio de Nazaré. Localizada em…

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará oficializou o resultado da eleição suplementar em Viseu 39 minutos após o encerramento da votação. Foi eleito prefeito Cristiano Vale (nº 11 – PP – Voltando pra Cuidar da Gente) e vice-prefeito Mauro da…

Nem bem foi inaugurado, e ainda faltando a instalação dos bancos e finalização, o calçadão da Avenida Beira-Mar, em Salinópolis, sofreu diversas avarias. A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras acionou a empresa responsável pela obra, que está executando ações…

A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Nota oficial da Amepa

“A Associação dos Magistrados do Pará – AMEPA, entidade que congrega os Magistrados Estaduais, diante do teor da notícia publicada site diarioonline.com.br, com o título Bancada de Jatene barra contratação de Defensores, vem a público esclarecer o seguinte: 

No dia de ontem, 21/06/2017, a Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária da Assembleia Legislativa do Estado – ALEPA, por 9 votos a 2 não acolheu proposta que visava retirar parte do Orçamento destinado ao Poder Judiciário a fim de transferir à Defensoria Pública. 

A AMEPA esclarece que a decisão tomada pela maioria dos Deputados Estaduais, longe de ser uma decisão em desfavor da Defensoria Pública foi, na realidade, uma decisão em favor do jurisdicionado paraense, o qual, sem sombra de dúvidas, necessita da presença do Poder Judiciário nas comarcas do interior do Estado e da Capital, de forma que, nos tempos de hoje, retirar parcela do orçamento destinado ao Poder Judiciário teria o lastro de ocasionar severos danos a todos aqueles que procuram por Justiça no Estado do Pará. 

A AMEPA registra que os valores repassados pelo Estado do Pará ao Poder Judiciário não são gastos apenas com pessoal, mas, ao contrário, são utilizados para garantir a estrutura da Justiça em todas as comarcas, ou seja, para a construção, reforma e ampliação de Fóruns, aquisição de equipamentos, investimento em tecnologia, visando, com isso, o amplo acesso de todos os cidadãos, valendo ser destacado que em inúmeros Fóruns do Estado, a própria Defensoria Pública se vale dessa estrutura, utilizando-se de salas e da infraestrutura do Poder Judiciário. 

Portanto, a rejeição da emenda constituiu-se em medida acertada, pois se aprovada iria inviabilizar a instalação de novas comarcas, a maior interiorização da Justiça, a convocação de servidores, bem como a implementação do cumprimento das metas do CNJ, dentre elas a priorização da justiça de primeiro grau, que visa alcançar de imediato o cidadão para que este tenha uma prestação jurisdicional célere e eficaz. 

A AMEPA esclarece ainda que o Poder Judiciário, com toda sua estrutura, encontra-se presente física e materialmente em todo o Estado e não apenas em cidades com melhor infraestrutura, situação esta que ocasiona custos, os quais devem ser suportados a partir das receitas advindas do Tesouro Estadual, não podendo, desse modo, cogitar-se da diminuição orçamentária, sob pena de se causar sérios prejuízos aos cidadãos paraenses. 

A população do Estado do Pará, principalmente do interior, dos mais distantes rincões, sabe da realidade ali existente, da presença efetiva do Poder Judiciário, do Magistrado e da estrutura da Justiça, que, como Poder do Estado, tem responsabilidades e atribuições decorrentes dessa condição, justificando-se plenamente a posição tomada pelos Senhores Deputados Estaduais, que, repita-se, longe de constituir em perda para a Defensoria Pública, na realidade, constituiu-se em decisão em prol do cidadão paraense, que poderá continuar a ter em sua comarca, em sua cidade do Interior, a presença da JUSTIÇA! 

Belém, 22 de junho de 2017. 

Sílvio Cesar dos Santos Maria
Presidente da AMEPA
André Luiz Filo-Creão Garcia da Fonseca
Vice Presidente de Prerrogativas da AMEPA”

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *